Exercícios físicos generalizados capacidade funcional e sintomas depressivos em idosos

Autores

  • Carla Manuela Crispim Nascimento 1.Universidade Estadual Paulista - UNESP, Laboratório de Atividade Física e Envelhecimento (LAFE); Instituto de Biociências; Departamento de Educação Física – Campus de Rio Claro/São Paulo – Brasil 2.Universidade de Vigo, Grupo HealthyFyt, Facultad de Ciencias do Deporte – Campus de Pontevedra – Espanha.sp - Campus de Rio Claro
  • Carlos Ayan Universidade de Vigo, Grupo HealthyFyt, Facultad de Ciencias do Deporte – Campus de Pontevedra – Espanha.
  • Jose Maria Cancela Universidade de Vigo, Grupo HealthyFyt, Facultad de Ciencias do Deporte – Campus de Pontevedra – Espanha.
  • Jessica Rodrigues Pereira Universidade Estadual Paulista - UNESP, Laboratório de Atividade Física e Envelhecimento (LAFE); Instituto de Biociências; Departamento de Educação Física – Campus de Rio Claro/São Paulo – Brasil
  • Larissa Pires Andrade Universidade Estadual Paulista - UNESP, Laboratório de Atividade Física e Envelhecimento (LAFE); Instituto de Biociências; Departamento de Educação Física – Campus de Rio Claro/São Paulo – Brasil
  • Marcelo Garuffi Universidade Estadual Paulista - UNESP, Laboratório de Atividade Física e Envelhecimento (LAFE); Instituto de Biociências; Departamento de Educação Física – Campus de Rio Claro/São Paulo – Brasil
  • Sebastião Gobbi Universidade Estadual Paulista - UNESP, Laboratório de Atividade Física e Envelhecimento (LAFE); Instituto de Biociências; Departamento de Educação Física – Campus de Rio Claro/São Paulo – Brasil
  • Florindo Stella 1. Universidade Estadual Paulista - UNESP, Laboratório de Atividade Física e Envelhecimento (LAFE); Instituto de Biociências; Departamento de Educação Física – Campus de Rio Claro/São Paulo – Brasil 2. Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, Clínica de Psiquiatria Geriátrica, Faculdade de Medicina – Campinas/São Paulo – Brasil. 3. Universidade de São Paulo - USP, Laboratório de Neurociências (LIM-27), Instituto de Psiquiatria, Faculdade de Medicina – São Paulo/São Paulo – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2013v15n4p486

Palavras-chave:

Aptidão funcional, Envelhecimento, Exercício físico, Sintomas depressivos.

Resumo

O objetivo deste estudo foi verificar os efeitos de 16 semanas de exercícios físicos generalizados sobre componentes da capacidade funcional, aptidão funcional geral e sintomas depressivos em idosos. Cinquente e cinco idosos (67,3±5,8 anos) participaramdo estudo. Os grupos foram distribuídos de acordo com a participação no protocolo proposto: a) grupo treinado (GT), composto de 27 participantes que atenderam pelo menos 75% do total de sessões de exercícios físicos generalizados por 16 semanas e; b) grupo controle (GC), participantes que não estiveram participando de nenhum tipo de programa regular de atividades físicas. A capacidade funcional foi avaliada por meio da bateria de testes para idosos da AAHPERD que é composta por cinco testes: coordenação, flexibilidade, resistência de força, agilidade e equilíbrio dinâmico e resistência aeróbia geral. Os sintomas depressivos foram medidos por meio da Escala de Depressão e Geriatria- versão curta (GDS-15). Os resultados demonstraram que os idosos doGT apresentaram melhor desempenho nos testes motores. Os sintomas depressivos não sofreram alterações em ambos os grupos. Desta maneira, nossos resultados indicam que 16 semanas são suficientes para promover benefícios na aptidão funcional geral de idosos, enquanto que idosos que permanecem sedentários tendem a apresentar decréscimo em sua aptidão física geral. O programa proposto não foi capaz de provocar alterações significativas em idosos com baixos valores relatados de sintomas depressivos para esta variável. As evidências do presente estudo possibilitam predizer que um programa generalizado pode auxiliar na prevenção de doenças crônicas, evitar declínios funcionais e produzir efeitos positivos na qualidade de vida

Downloads

Publicado

2013-04-30

Edição

Seção

Artigos Originais