Evolução da performance de meio-fundistas Brasileiros da formação ao pico de rendimento: um estudo piloto

Autores

  • Andrigo Zaar Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Departamento de Ciências do Desporto, Exercício e Saúde. Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano. Vila Real, Portugal.
  • Victor Machado Reis Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Departamento de Ciências do Desporto, Exercício e Saúde. Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano. Vila Real, Portugal.
  • Diogo Roberto Oliveira Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Departamento de Ciências do Desporto, Exercício e Saúde. Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano. Vila Real, Portugal.
  • António José Silva Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Departamento de Ciências do Desporto, Exercício e Saúde. Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano. Vila Real, Portugal.

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2013v15n5p570

Palavras-chave:

Atletismo, Meio-Fundo, Evolução da Performance.

Resumo

O corredores objetivo deste estudo foi analisar a evolução da performance dos de Meio-Fundo Brasileiros com base na progressão dos resultados desportivos obtidos no processo de formação e no pico de rendimento. A amostra constituiu-se dos dez melhores tempos dos rankings nacionais de 2001 a 2010, alcançados pelos corredores nas provas de MF, na faixa etária de 15 a 19 anos, do sexo masculino. Os resultados expressos pelo modelo matemático encontrado apresentam para os 800m aos 15 anos: 119,14±1,79s; 16 anos: 114,36±1,07s; 17 anos: 113,25±1,81s; 18 anos: 110,71±1,60s; 19 anos: 109,73±1,17s. Para os 1.500m constatou-se uma predição da performance aos 15 anos em: 253,89±4,84s; 16 anos: 243,40±1,67s; 17 anos: 238,53±1,55s; 18 anos: 232,49±1,59s; 19 anos: 230,48±2,28s. Conclui-se que a idade ótima de obtenção dos melhores resultados desportivos para os corredores de MF do sexo masculino, no Brasil, em provas de 800m, apresenta-se aos 22.69±0.42 anos e nas provas de 1.500m aos 22.29±0.34 anos. Estes valores situam-se no limite inferior do referido na literatura.

Publicado

2013-06-29

Edição

Seção

Artigos Originais