Efeitos da cirurgia bariátrica na composição corporal de adultos

Autores

  • Tiago Wally Hartwig Universidade Federal de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Grupo de Estudos em Epidemiologia da Atividade Física. Pelotas, RS. Brasil.
  • Félix Antônio Insaurriaga dos Santos Médico e Especialista em Cirurgia Videolaparoscópica. Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica. Pelotas, RS. Brasil
  • Maria Cristina González Universidade Católica de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Saúde e Comportamento. Pelotas, RS. Brasil.
  • Airton José Rombaldi Universidade Federal de Pelotas. Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Grupo de Estudos em Epidemiologia da Atividade Física. Pelotas, RS. Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2013v15n6p686

Palavras-chave:

Cirurgia bariátrica, Composição corporal, Obesidade mórbida, Adultos

Resumo

Os últimos anos destacam-se por uma alta prevalência de indivíduos obesos no âmbito mundial, sendo os casos mais alarmantes conhecidos como obesos mórbidos. Um método efetivo para alterar as características antropométricas desse público com excesso de peso e elevada massa gorda é a cirurgia bariátrica. O estudo teve como objetivo analisar as alterações na composição corporal de pacientes obesos mórbidos submetidos à cirurgia bariátrica na cidade de Pelotas, RS. O estudo se caracterizou por ser uma coorte prospectiva, acompanhando um grupo de obesos mórbidos 30 dias antes e 30 dias após a cirurgia. A amostra foi composta por 123 pacientes, submetidos à Gastroplastia Vertical em Y-Roux no período de abril de 2003 a maio de 2010. A composição corporal (percentual de gordura) foi determinada através de bioimpedância elétrica. A média de idade foi de 36,1 ± 8,8 anos. A perda de massa corporal média da amostra foi de 14,kg ± 6,0 (p<0,001) e a média de redução do índice de massa corporal (IMC) foi de 5,2kg/m² ± 2,1 (p<0,001). Em relação às variáveis percentual de gordura e massa gorda, houve redução de 2,8% (p<0,001) e 9,7 kg ± 4,9 (p<0,001), respectivamente, ocorrendo, também, uma perda de 4,4 kg ± 3,4 (p<0,001) na massa magra. Concluiu-se que o procedimento cirúrgico implicou reduções significativas na massa corporal, no IMC, no percentual de gordura e na massa gorda, sendo uma alternativa a ser considerada quando as formas convencionais de tratamento se mostrarem pouco eficazes.

Downloads

Publicado

2013-08-27

Edição

Seção

Artigos Originais