Efeito agudo da imagética no desempenho de lances livres e percepção de autoeficácia em atletas

Autores

  • Thiago Ferreira Dias Kanthack Universidade Estadual de Londrina. Grupo de Estudos e Pesquisa em Sistema Neuromuscular e Exercício. Londrina, PR. Brasil
  • Marcelo Bigliassi Universidade Estadual de Londrina. Grupo de Estudos e Pesquisa em Sistema Neuromuscular e Exercício. Londrina, PR. Brasil
  • Lenamar Fiorese Vieira Universidade Estadual de Maringá. Programa de Estudos para o Desenvolvimento do Esporte. Londrina, PR. Brasil
  • Leandro Ricardo Altimari Universidade Estadual de Londrina. Grupo de Estudos e Pesquisa em Sistema Neuromuscular e Exercício. Londrina, PR. Brasil

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2014v16n1p47

Palavras-chave:

Autoeficácia, Desempenho atlético, Psicologia aplicada, Mental training, free throw, self-efficacy, athlete, performance.

Resumo

O esporte cada vez mais diferencia vencedores e perdedores por mínimos detalhes. No basquetebol um fator diferenciador é o lance livre. Sessões de imagética motora (IMA) vêm sendo estudada como um ergogênico sobre o desempenho de lance livre, porém, pouco se estuda o seu efeito agudo, principalmente, em atletas. O objetivo desse estudo foi verificar o efeito de uma sessão prévia de treinamento mental sobre o desempenho no lance livre e na percepção de autoeficácia de jovens atletas. Participaram do estudo 11 atletas juvenis da Federação Paulista de Basquete. Na condição IMA, foram submetidos a 1 minuto de vídeo + 3 minutos de imagética, seguidos de 10 lances livres, e no controle, 4 minutos de repouso seguidos de 10 lances livres. O questionário de autoeficácia foi preenchido antes e após a intervenção. Para análise estatística, foram utilizados os testes U de Mann-Withney, Wilcoxon e o Smallest Wothwhille Change (SWC). Não foi encontrada diferença entre a mediana dos grupos, porém, o SWC apontou uma possibilidade de 84% de efeito benéfico do treinamento mental sobre o desempenho para até 2 lances livres. Concluiu-se que a imagética motora prévia tem 84% de chance de causar um efeito benéfico sobre o desempenho de lance livre em até 2 arremessos.

 

Biografia do Autor

Thiago Ferreira Dias Kanthack, Universidade Estadual de Londrina. Grupo de Estudos e Pesquisa em Sistema Neuromuscular e Exercício. Londrina, PR. Brasil

Grupo de Estudos e Pesquisa em Sistema Neuromuscular e Exercício – GEPESINE

Marcelo Bigliassi, Universidade Estadual de Londrina. Grupo de Estudos e Pesquisa em Sistema Neuromuscular e Exercício. Londrina, PR. Brasil

Grupo de Estudos e Pesquisa em Sistema Neuromuscular e Exercício – GEPESINE

Lenamar Fiorese Vieira, Universidade Estadual de Maringá. Programa de Estudos para o Desenvolvimento do Esporte. Londrina, PR. Brasil

Programa de Estudos para o Desenvolvimento do Esporte - PRÓ-ESPORTE

Leandro Ricardo Altimari, Universidade Estadual de Londrina. Grupo de Estudos e Pesquisa em Sistema Neuromuscular e Exercício. Londrina, PR. Brasil

Adjunct Professor, Department of Physical Education

Adjunct Director, Center of Physical Education and Sports

Coordinator, Group of Research in Neuromuscular System and Exercise

Downloads

Publicado

2013-12-14

Edição

Seção

Artigos Originais