Comparação entre dois modelos de treinamento sobre o gasto energético de repouso e a composição corporal de adolescentes com obesidade

Autores

  • Bruno Affonso Parenti de Oliveira Universidade de São Paulo
  • Fabrício Eduardo Rossi Universidade Estadual Paulista
  • Camila Buonani Universidade Estadual Paulista
  • Tiego Aparecido Diniz Universidade Estadual Paulista
  • Paula Alves Monteiro Universidade Estadual Paulista
  • Bárbara de Mello Antunes Universidade Estadual Paulista
  • Rômulo Araújo Fernandes Universidade Estadual Paulista
  • Ismael Forte Freitas Júnior Universidade Estadual Paulista

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2016v18n3p268

Palavras-chave:

Adolescentes, Composição corporal, Obesidade

Resumo

Diferentes tipos de programas de exercícios físicos têm sido utilizados na tentativa de melhorar a composição corporal e aumentar o gasto energético de repouso (GER) de adolescentes obesos. O objetivo foi comparar os efeitos de dois modelos de treinamento sobre o gasto energético de repouso e a composição corporal de adolescentes com obesidade. Participaram do estudo vinte adolescentes obesos do sexo masculino, foram divididos de forma aleatória em dois modelos de treinamento: treinamento contra resistência (n=8, idade=13,4±1,0) e treinamento funcional (n=12, idade= 13,0±1,1). As variáveis de composição corporal foram estimadas pela densitometria radiológica de dupla energia. O GER foi realizado por meio da calorimetria indireta usando o equipamento QUARK-PFT (COSMED, Roma, Itália). O protocolo de treinamento consistiu de 30 minutos de treino aeróbio seguidos de 30 minutos de treino contra resistência (TC)ou funcional (TF), ambos durante 20 semanas. Não houve diferenças significantes entre os dois modelos de treinamento na composição corporal (massa gorda, TF= -7,6±5,5% x TC= -8,9±6,2%; p=0,620), (massa corporal magra, TF= 9,0±5,3% x TC= 6,8±6,7%; p=0,431) e no GER (TF= 19,6±15,3% x TC= 10,7±24,5%; p=0,331). Além disso, a massa corporal magra (p=0,01) e massa gorda (p=0,01) influenciam o GER. Não há diferença entre os dois modelos de treinamento, porém ambos são eficazes na redução da composição corporal e aumento do GER de adolescentes obesos. Adicionalmente, foi verificada a importância do treinamento físico sistematizado, uma vez que a massa corporal magra e massa gorda contribuíram para o aumento do GER após o treinamento.

Biografia do Autor

Bruno Affonso Parenti de Oliveira, Universidade de São Paulo

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto

Fabrício Eduardo Rossi, Universidade Estadual Paulista

Departamento de Educação Física

Camila Buonani, Universidade Estadual Paulista

Departamento de Educação Física

Tiego Aparecido Diniz, Universidade Estadual Paulista

Departamento de Educação Física

Paula Alves Monteiro, Universidade Estadual Paulista

Departamento de Educação Física

Bárbara de Mello Antunes, Universidade Estadual Paulista

Departamento de Educação Física

Rômulo Araújo Fernandes, Universidade Estadual Paulista

Departamento de Educação Física

Ismael Forte Freitas Júnior, Universidade Estadual Paulista

Departamento de Educação Física

Downloads

Publicado

2016-07-14

Edição

Seção

Artigos Originais