Aptidão aeróbica é associada com a melhora da capacidade de sprints repetidos de atletas de basquetebol após seis semanas de treinamento durante o período preparatório

Autores

  • Petrus Gantois Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Felipe José Aidar Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Matheus Peixoto Dantas Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Leandro Medeiros da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Pedro Pinheiros Paes Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Eduardo Estevan Santana Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Paulo Moreira da Silva Dantas Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Breno Guilherme de Araújo Tinôco Cabral Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2018v20n1p114

Palavras-chave:

Atletas, Aptidão física, Desempenho atlético, Esportes

Resumo

Capacidade de sprints repetidos (CSR) é considerada um importante atributo para o basquetebol, sendo a aptidão aeróbica apontada como fator limitante para a repetição dos sprints. O objetivo do estudo foi verificar se a mudança no VO2PICO se relaciona com a melhoria da CSR após seis semanas de treinamento durante o período preparatório. 12 atletas de basquetebol universitário do sexo masculino com idade entre 18-24 anos participaram do estudo. Os atletas foram submetidos a uma avaliação da composição corporal, teste incremental máximo em esteira e teste de CSR (6x30-m) antes e após seis semanas de treinamento. Para efeito do estudo recorreu-se ao cálculo do delta percentual de mudança. Teste t pareado foi utilizado para verificar as diferenças após o treinamento e a correlação de Pearson e regressão linear simples foram utilizadas para verificar a relação entre o Δ%VO2PICO e Δ%CSR. Observaram-se melhorias nos índices CSRPICO (t(1,11)= 2,7; p=0,023); CSRMÉDIA (t(1,11)= 2,8; p=0,019); CSRTOTAL (t(1,11)= 2,6; p=0,028); CSRDEC (t(1,11)= 2,9; p=0,015); e sprints 4 (t(1,11)= 2,4; p=0,037); 5 (t(1,11)= 3,14; p=0,010); e 6 (t(1,11)= 3,65; p=0,004) e VO2PICO (t(1,11)= -5,4; p<0,001); O  %VO2PICO se relacionou com o Δ%CSRMÉDIA (r=-0,667; r2= 0,383), Δ%CSRTOTAL (r= -0,673; r2= 0,393), Δ%Sprint 3 (r=-0,669; r2=0,387), Δ%Sprint 4 (r=-0,659; r2=0,371), Δ%Sprint 5 (r=-0,689; r2=0,413), Δ%Sprint 6 (r=-0,678; r2=0,400). É possível concluir que ~39% da melhoria das variáveis associadas com a manutenção de sprints repetidos (CSRMÉDIA; CSRTOTAL; sprints 3,4,5 e 6) dos atletas de basquetebol foi compartilhada pelo aumento de ~7,5% no VO2PICO

Biografia do Autor

Petrus Gantois, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Felipe José Aidar, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Matheus Peixoto Dantas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Leandro Medeiros da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Pedro Pinheiros Paes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Eduardo Estevan Santana, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Paulo Moreira da Silva Dantas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Breno Guilherme de Araújo Tinôco Cabral, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Downloads

Publicado

2018-03-14

Edição

Seção

Artigos Originais