Teste TUG e saúde autopercebida em idosos: estudo de base populacional

Autores

  • Rosilene Andrade Silva Rodrigues Universidade Federal de Mato Grosso http://orcid.org/0000-0002-5164-2199
  • Margarete Marques Teodózio Universidade Federal de Mato Grosso
  • Mariano Martínez Espinosa Universidade Federal de Mato Grosso
  • Waléria Christiane Rezende Fett Universidade Federal de Mato Grosso
  • Claudia Duarte Melo Universidade Federal de Mato Grosso
  • Carlos Alexandre Fett Universidade Federal de Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2018v20n3p247

Palavras-chave:

Acidentes por quedas, Aptidão física, Doenças crônicas, Envelhecimento, Idoso frágil

Resumo

Devido ao processo envelhecimento, surgem as doenças crônicas com aumento de uso de medicamentos e existe necessidade de avaliar os idosos para prevenir dependência  uncional e quedas. O objetivo deste estudo foi comparar as pessoas idosas por gênero, variáveis socioeconômicas, ocorrências de quedas, doenças autorrelatadas, quantidade de medicamentos, saúde autopercebida e teste Timed Up and Go (TUG). Foram selecionadas 513 pessoas idosas, com 384 que completaram o teste TUG para avaliar a capacidade funcional. Existia diferença entre gênero feminino e o masculino, nas variáveis: grupo etário de 70 a 79 anos (p=0,036) ≥ 80 anos (p=0,013); renda per capita no salário mínimo ≤ 1 feminino (p=0,005) e> 2 (p=0,013), quedas (p= 0,001), hipertensão sistêmica (p<0,001), artrite ou reumatismo (p=0,048), osteoporose (p <0,001), medicamentos de 3 a 4 (p=0,008), autopercepção de saúde (p=0,030) e no TUG (p<0,001) e TUG-cognitivo (p=0,002). A prevalência por regressão de Poisson robusta (RPa), as variáveis associadas à saúde autopercebida: doença cardíaca (p=0,047), acidente vascular cerebral (p=0,001), osteoporose (p=0,013) e motor TUG (p=0,028). As mulheres tiveram mais problemas de saúde, fraqueza e desempenho físico fraco, indicando a necessidade de atenção especial aos aspectos do envelhecimento. Assim, o teste TUG pode ser uma ferramenta útil para avaliar o risco de quedas nos idosos que vivem na comunidade.

Biografia do Autor

Rosilene Andrade Silva Rodrigues, Universidade Federal de Mato Grosso

Universidade Federal de Mato Grosso

Margarete Marques Teodózio, Universidade Federal de Mato Grosso

Universidade Federal de Mato Grosso

Mariano Martínez Espinosa, Universidade Federal de Mato Grosso

Universidade Federal de Mato Grosso

Waléria Christiane Rezende Fett, Universidade Federal de Mato Grosso

Universidade Federal de Mato Grosso

Claudia Duarte Melo, Universidade Federal de Mato Grosso

Universidade Federal de Mato Grosso

Carlos Alexandre Fett, Universidade Federal de Mato Grosso

Universidade Federal de Mato Grosso

Downloads

Publicado

2018-06-20

Edição

Seção

Artigos Originais