Estudo antropométrico comparativo entre meninas espanholas e brasileiras praticantes de dança

Autores

  • Aline Nogueira Haas Departamento de Educação Física, Faculdade de Educação Física, Universidad
  • Manuel Rosety Plaza Departamento de Ciências Morfológicas, Faculdade de Medicina, Universidade de
  • Eduardo Henrique De Rose Departamento de Desportos, Escola de Educação Física, Universidade Federal do

DOI:

https://doi.org/10.1590/%25x

Palavras-chave:

Antropometria, Dança Meninas, Anthropometry, Dance, Girls

Resumo

Pouco se sabe a respeito da influência da dança no desenvolvimento morfológico e antropométrico de meninas e adolescentes – meninas-bailarinas. A bibliografia referente a esse tema é quase inexistente, tendo-se grande dificuldade de encontrar estudos realizados acerca de populações desse tipo. É muito importante poder controlar o desenvolvimento morfológico de meninas que estudam dança, para poder quantificar, qualificar e, conseqüentemente, alcançar melhores resultados. Portanto, o objetivo deste estudo foi analisar, por meio de um estudo comparativo, as características antropométricas de uma população de meninas-bailarinas pertencentes à cidade de Porto Alegre (RS), Brasil, praticantes de ballet clássico, com idade média 11.12 ± 1.00, e à cidade de Córdoba (CO), Espanha, praticantes de ballet clássico e dança espanhola, com idade média 11.50 ± 0.94, estabelecendo um paralelismo entre estas duas populações, comparando e relacionando os dados obtidos. Foram medidas 50 variáveis antropométricas, incluindo medidas de peso corporal, envergadura, estatura, alturas, perímetros, dobras cutâneas, diâmetros e longitudes, utilizando o método antropométrico, baseado no protocolo da ISAK (International Society of the Advancement of Kinanthropometry), proposto por Ross e Marfell-jones (1991). Utilizou-se a metodologia estatística descritiva, para obter um banco de dados das duas amostras estudadas, e o teste da diferença entre as médias (“Teste t”), para comparar os dados obtidos entre as duas populações, verificando se existiam diferenças significativas entre as mesmas (p < 0.05). Através da análise dos resultados obtidos concluiu-se que os dois grupos estudados são muito semelhantes, ainda que encontradas algumas variáveis com diferenças estatísticas. As diferenças encontravam-se principalmente nos diâmetros ósseos.

Biografia do Autor

Aline Nogueira Haas, Departamento de Educação Física, Faculdade de Educação Física, Universidad

Mais informações:
Currículo Lattes

Eduardo Henrique De Rose, Departamento de Desportos, Escola de Educação Física, Universidade Federal do

Mais informações:
Currículo Lattes

Downloads

Publicado

2000-01-01

Edição

Seção

Artigos Originais