As tramas de uma complexa rede: atores e atrizes da política de direitos reprodutivos no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n144803

Palavras-chave:

Análise de Políticas, Gênero e saúde, Política de direitos reprodutivos no Brasil

Resumo

Este estudo buscou identificar, a partir do referencial feminista, atores e atrizes envolvidos/as
na política nacional de direitos sexuais e direitos reprodutivos em curso no Brasil. A escolha dessa política como lócus de investigação se deu em função de ser um espaço de discussão teórica e política com trajetória histórica de pelo menos trinta anos no campo da saúde, protagonizado por diferentes e diversos atores sociais em um campo de conhecimento e práticas ancorado em elementos considerados masculinos: a área biomédica e a de formulação das políticas. Com base em um Modelo Operacional de Análise de Políticas Públicas proposto por Araújo Júnior (2000), identificamos contexto, atores, processos e conteúdo da referida política tendo como ponto de partida os diálogos com 23 profissionais que, durante o período-foco da pesquisa (Gestão 2003-2006), ocuparam lugares importantes na formulação e debate público neste campo.

Biografia do Autor

Jorge Lyra, Universidade Federal de Pernambuco

Mestre em Psicologia Social e Doutor em Saúde Pública; Professor do Departamento de Psicologia da UFPE (cursos de graduação e pós-graduação); coordenador do Núcleo Feminista de Pesquisas em Gênero e Masculinidades (Gema/UFPE) e um dos fundadores da ONG Instituto PAPAI.

Benedito Medrado, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor em Psicologia Social; Professor do Departamento de Psicologia da UFPE (cursos de graduação e pós-graduação); coordenador do Núcleo Feminista de Pesquisas em Gênero e Masculinidades (Gema/UFPE) e um dos fundadores da ONG Instituto PAPAI.

Downloads

Publicado

2019-05-09

Edição

Seção

Artigos