GÊNERO E PATERNIDADE NAS PESQUISAS DEMOGRÁFICAS: O VIÉS CIENTÍFICO

Jorge Lyra, Benedito Medrado

Resumo


Tendo em vista as recomendações atuais das políticas públicas da necessidade de se
discutir e produzir conhecimento a respeito dos homens/pais na família e seu papel na esfera
reprodutiva propomos neste artigo analisar, à luz da perspectiva de gênero, a paternidade nos
dados sócio-demográficos em pesquisas realizadas pelo SEADE e pelo IBGE. Para tanto, analisamos os
instrumentos de coleta de dados das seguintes pesquisas: Declaração de Nascidos Vivos; Mapa de
registro de Nascidos Vivos; Contagem Populacional, 1996; PCV, 1990/1994; PNAD, 1996. Observamos
que há necessidade de reformulação das perguntas que vêm sendo incluídas nos inquéritos e que
o estado de coleta de informações sobre a participação masculina na vida reprodutiva no Brasil é
ainda passível de críticas, devendo, com certeza, ser aprimorado. Na sociedade contemporânea a
concepção e criação de filhos têm ainda se restringido à mulher, não incluindo o pai da criança nessa
esfera.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/%25x

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.