Des(p)ejo das palavras: relendo os primeiros diários de Carolina Maria de Jesus

Rafael Guimarães Tavares da Silva

Resumo


A obra de estreia de Carolina Maria de Jesus, Quarto de despejo, foi sucesso de público,
embora suas obras seguintes tenham sido envoltas por um silêncio profundo no Brasil. Buscando situar esse silêncio na problemática que diz respeito à figura de uma escritora “pobre, negra e mulher”, pretendo reler seus primeiros diários e sugerir certos aspectos de seu fecundo trabalho com a linguagem, demonstrando a existência de um processo poderoso e emancipatório de subjetivação, ainda que não isento de ambiguidades.


Palavras-chave


Teoria Literária; Escrita de Si; Desconstrução; Literatura Brasileira; Carolina Maria de Jesus

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n254825

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.