A insígnia do pecado: The Magdalene Sisters

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2020v28n260353

Resumo

Considerada a insígnia do pecado, sendo percebida como a agente privilegiada de Satã, a mulher manteve uma reputação frequentemente hostil durante todo o medievo. Sua imagem, muitas vezes, fora associada à ideia da luxúria, da decadência moral e da iniquidade demoníaca. Deste modo, neste artigo pretende-se refletir sobre o imaginário medieval em relação à mulher durante o período medieval e à presença desta concepção imaginária como construtora de sentidos na narrativa fílmica The Magdalene Sisters, de Peter Mullan (2002). Considerando que o longa-metragem apresenta a história verídica de mulheres na segunda metade do século XX, é possível analisar as representações sociais da mulher medieval, bem como das alegorias presentes no longa-metragem, compreendendoas como um elemento de permanência histórica.

Biografia do Autor

Cristina Ennes da Silva, Universidade Feevale/ RS

Cristina Ennes da Silva. Doutora em História das Sociedades Ibéricas e Americanas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUC/RS. Professora titular do Curso de História ; Programa de Pós-Graduação em Processos e Manifestações Culturais e pesquisadora da Universidade Feevale. Novo Hamburgo/ RS - Brasil. E-mail: crisennes@feevale.br e crisennes@gmail.com . https://orcid.org/0000-0002-3074-7178

Tiago Silva, Universidade Feevale

Tiago Silva é professor de História e Teatro. Graduado em História e Mestre em Processos e Manifestações Culturais pela Universidade Feevale. Atualmente cursa Direção Teatral pelo Departamento de Arte Dramática da UFRGS, atuando no grupo de pesquisa "Dramaturgia e Sociedade: o Teatro de hoje nas fronteiras da ficção", ondepesquisa as relações teórico-práticas entre História Oral, Teatro Documentário, Teatro do Testemunho e Dramaturgia Contemporânea. É ator, dramaturgo e diretor teatral no Coletivo Nômade de Teatro e Pesquisa Cênica (Porto Alegre, Rio Grande do Sul). Tem experiência e desenvolve pesquisa na área da História e na interdisciplinar. https:/orcid.org/0000-0002-3249-0740 - ID 0000-0002-3249-0740.  thyagocenico@gmail.comUniversidade Feevale – Novo Hamburgo/RS, Brasil.Rod. ERS 239, 2755, Novo Hamburgo/RS, CEP: 93525-075. Telefone 51 35868800 Ramal 8969

Referências

BACZKO, Bronislaw. “A imaginação social”. In: LEACH, Edmund et al. Anthropos-Homem. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1985. p. 296-332.

BASCHET, Jérôme. A civilização feudal: do ano mil à colonização da América. São Paulo: Globo, 2006.

BETHENCOURT, Francisco. História das Inquisições. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

BLOCH, Howard; FERGUNSON, Frances (Orgs.). Misogyny, Misandry, and Misanthropy. Oakland: University of California Press, 1987. Representations Books (Book 3).

CASAGRANDE, Carla. “A mulher sob custódia”. In: KLAPISCH-ZUBER, Christiane (Dir.). História das mulheres no Ocidente: Idade Média. Porto: Afrontamento, 1990. p. 99-141. v. 2.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand, 1990.

CHARTIER, Roger. À Beira da Falésia: A História entre Certezas e Inquietude. Porto Alegre: EDUFRGS, 2002.

CORÍNTIOS, 7: 1-3. In: A BÍBLIA SAGRADA. Antigo e Novo Testamento. Tradução de João F. de Almeida. Rio de Janeiro: Imprensa Bíblica Brasileira, 1967.

CROWDUS, Gary. “The Sisters of No Mercy: an interview with Peter Mullan”. Cineaste, v. 28, n. 4, p. 26-33, 2013.

DELUMEAU, Jean. História do medo no ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

DUBY, Georges. Idade Média, Idade dos Homens. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

DUBY, Georges. Heloísa, Isolda e outras damas do século XII. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

DUBY, Georges. Amor e Sexualidade no Ocidente. Lisboa: Terramar, 1998.

ECLESIÁSTICO, 21, 25, 27. In: A BÍBLIA SAGRADA. Antigo e Novo Testamento. Tradução de João F. de Almeida. Rio de Janeiro: Imprensa Bíblica Brasileira, 1967.

FARGETTE, Séverine. “Eva, Lilith e Pandora: o mal da sedução”. História Viva, São Paulo, ano 6, v. 12, p. 61-63, dezembro 1990.

FERRO, Marc. “Filme: uma contra-análise da sociedade?”. In: LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre (Orgs.). História: novos objetos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976. p. 199-215.

FRANCO JR., Hilário. A Idade Média: o nascimento do ocidente. São Paulo: Brasiliense, 2006.

GÊNESIS, 3: 6. In: A BÍBLIA SAGRADA. Antigo e Novo Testamento. Tradução de João F. de Almeida. Rio de Janeiro: Imprensa Bíblica Brasileira, 1967.

HALL, Stuart. Representation: cultural representations and signifying practices. London: Thousand, 1997.

KRAMER, Heinrich; SPRENGER, James. Malleus Maleficarum. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1991.

LE GOFF, Jacques. “As mentalidades: uma história ambígua”. In: LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre (Orgs.). História: novos objetos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976. p. 68-83.

LE GOFF, Jacques. O imaginário medieval. Lisboa: Estampa, 1994.

LE GOFF, Jacques. Em busca da Idade Média. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

LE GOFF, Jacques; TRUONG, Nicolas. Uma história do corpo na Idade Média. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

MACEDO, José Rivair. A mulher na Idade Média. São Paulo: Contexto, 2002.

MAFFESOLI, Michel. “O imaginário é uma realidade”. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n. 15, p. 74-82, agosto 2001.

NOGUEIRA, Carlos Roberto Figueiredo. “As companheiras de Satã: o processo de diabolização da mulher”. Espacio, Tiempo y Forma, Madrid, Série IV. t. IV, p. 9-24, 1991.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. “Em Busca de uma Outra História: Imaginando o Imaginário”. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 15, n. 29, p. 9-27, 1995.

SANTOS, Dominique Vieira Coelho. “Acerca do conceito de representação”. Revista de Teoria da História, Goiás, ano 3, n. 6, p. 27-53, dezembro 2011.

SOARES, Paulo Roberto de Núñez. “Os monstros na cultura medieval”. Revista Signum, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 188-210, 2011.

THE MAGDALENE Sisters. Direção: Peter Mullan. Produção: Frances Higson. Irlanda, Drama, Europa Filmes, 2002. 1 DVD (114 minutos), son. color.

TOLDY, Teresa. “As mulheres na Igreja Católica: luzes e sombras ao longo da História”. Revista Teológica, Braga, v. 32, n. 2, p. 219-245, 2007.

VANOYE, Francis; GOLLIOT-LÉTÉ, Anne. Ensaio sobre a análise fílmica. Campinas: Papirus, 1994.

Downloads

Publicado

2020-09-16

Edição

Seção

Artigos