USOS E INCOMPREENSÕES DO CONCEITO DE GÊNERO NO DISCURSO EDUCACIONAL NO BRASIL

Maria Eulina Pessoa de Carvalho, Glória de Lourdes Freire Rabay

Resumo


Gênero é um conceito de difícil compreensão e tem se tornado praticamente sinônimo de sexo, na linguagem comum e até mesmo acadêmica. Este trabalho, financiado pelo CNPq, assinala usos e incompreensões deste conceito no campo educacional no Brasil e suas implicações para as políticas e práticas educacionais. Primeiro, enfoca a substituição da variável sociológica sexo por gênero, em formulários de identificação e tabelas de caracterização de sujeitos, e a confusão entre paridade de sexo e equidade de gênero, que reduz gênero a uma característica individual ou um marcador identitário. Segundo, demonstra a incompreensão expressa nas percepções e discursos de docentes de ambos os sexos, situados em cursos superiores masculinos, onde segue invisível ou não-problematizado o gendramento de campos de conhecimento e carreiras; e destaca, em discursos de mulheres docentes de Matemática o desconhecimento da problemática em uma disciplina onde a presença de mulheres continua reduzida. Argumenta, enfim, sobre a importância da transversalização da perspectiva de gênero no ensino superior e na pesquisa.


Palavras-chave


gênero, sexo, discurso educacional, docentes universitários/as



DOI: https://doi.org/10.1590/%25x

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.