Feminismo e narrativa nacional no Brasil e em Portugal

Cláudia J. Maia

Resumo


O artigo tem como objetivo discutir a participação de escritoras feministas nas narrativas nacionais das primeiras décadas do século XX no Brasil e em Portugal, fazendo algumas interseções entre elas. Para tanto, restringi a análise às representações de gênero e de nação, construídas pela portuguesa Ana de Castro Osório e pela brasileira Júlia Lopes de Almeida nos romances epistolares Mundo Novo (1930) e Correio da Roça (1913), respectivamente. Argumento que, ao contrário da perspectiva masculina mais hegemônica de representar a
nação que tende a instituir um modelo de domesticação e submissão feminina, essas escritoras
construíram uma representação de nação associando o progresso desta à emancipação e
independência femininas.


Palavras-chave


Gênero; Feminismo; Nacionalismo; Literatura de Autoria Feminina; Júlia Lopes de Almeida; Ana de Castro Osório

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/%25x

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.