As “mocinhas heroínas” das fotonovelas da revista Capricho

Raquel de Barros Pinto Miguel

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir as maneiras como as mulheres são representadas
nas fotonovelas publicadas na revista Capricho entre os anos de 1950 e 1960. As décadas
citadas foram o auge das fotonovelas no Brasil. Sua leitura, assim como a de outras revistas
femininas, ajudava a integrar as mulheres na sociedade urbana, divulgando modos e modas a
serem seguidos e copiados. Para tanto, foram analisadas vinte fotonovelas publicadas na
revista citada destacando a construção da imagem de heroínas/mocinhas que serviram de
“modelo” e inspiração para muitas mulheres leitoras da Capricho. Dessa forma, busco abordar
a participação das fotonovelas na construção de subjetividades e de determinados modos de
ser homem e de ser mulher.


Palavras-chave


Fotonovela; Revista Feminina; Heroína; Estudos de Gênero

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/%25x

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.