“E a Bela dançou...”: subvertendo o belo feminino dos contos de fadas

Maria Cristina Martins

Resumo


Este trabalho pretende demonstrar como Barbara G. Walker e Angela Carter subvertem,
de forma nada convencional, noções de beleza feminina, típicas dos contos de fadas, ao
relerem a versão canônica do conto “A Bela e a Fera”, de Madame Jeanne-Marie Leprince de
Beaumont em “Uglyand The Beast” e em “The Tiger’s Bride”, respectivamente, a partir de uma nova direção crítica. Na discussão, avaliam-se o impacto revisionista do emprego de táticas narrativas (como as inversões), os contrastes paródicos e também o grau de ruptura alcançado nas releituras investigadas, no que concerne à questão da beleza, e considera-se também como o revisionismo elabora o trabalho ficcional com o insólito por intermédio do elemento metaempírico (sobrenatural).


Palavras-chave


Beleza; Revisionismo; Contos de Fadas; Gênero

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/%25x

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.