Calipso e a intransigência do gênero

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/%25x

Palavras-chave:

Gênero, Superação, Odisseia

Resumo

O presente texto propõe-se a investigar a operação dialética que Calipso elabora (Canto 5 da Odisseia - Regresso) ao ser obrigada pelos Deuses (Zeus), contra a sua vontade, a deixar Odisseu seguir o seu regresso à Ítaca. A análise é feita à luz dos estudos de gênero e feministas. O canto em questão pode figurar como um dos principais registros ocidentais das
relações de gênero, destacando-se entre as demais passagens da Odisseia como um todo. Em
poucas palavras, o canto cinco indica a superação dialética da condição não hegemônica
das mulheres a partir da intransigência do gênero.

Biografia do Autor

Christian Muleka Mwewa, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professor na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação e Sociedade (UFMS/CPTL). Doutor em Ciências da Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2010) com estágio doutoral na Université de Paris I Panthéon-Sorbonne (2008).

André Cechinel, Univerisdade do Extremo sul Catarinense (UNESC)

Professor no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC).

Alexandre Fernandez Vaz, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Professor no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) e no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação e Sociedade Contemporânea (CNPq/UFSC). Pesquisador PQ 1D do CNPq.

Downloads

Publicado

2018-11-28

Edição

Seção

Artigos