De pandemias e compostagens: gerando parentescos sem inocência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2021v29n276043

Palavras-chave:

Feminismo, Bioética Feminista, Teorias Feministas

Biografia do Autor

Fernanda Sardelich Nascimento, Centro Universitário UniFBV/Wyden

Doutora em Psicologia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), bolsista da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE), e Mestra em Psicologia também pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFPE. Professora do Mestrado Profissional em Gestão Empresarial do Centro Universitário UniFBV/Wyden. Pesquisa nas áreas de psicologia social, gênero, violência relacional, juventude e sexualidade.

Maria Emilia Sardelich, Universidade Federal da Paraíba

Doutora em Educação, pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora adjunta da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Centro de Educação (CE). Pesquisadora permanente do Programa Associado de Pós-Graduação em Artes Visuais da UFPB e Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Líder do Grupo de Pesquisa Ensino em Artes Visuais (GPEAV/UFPB).

Referências

GANE, Nicholas; HARAWAY, Donna. “Se nós nunca fomos humanos, o que fazer?”. Ponto Urbe, 26, 2010. Disponível em https://journals.openedition.org/pontourbe/1635?lang=en#tocto1n1. Acesso em 10/07/2020.

HARAWAY, Donna. “O Humano numa Paisagem Pós-Humanista”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 1, n. 2, p. 277-292, jan. 1993. Disponível em https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/16064. Acesso em 10/07/2020.

HARAWAY, Donna. “Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial”. Cadernos Pagu (5), p. 7-41, 1995. Disponível em https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/1773. Acesso em 10/07/2020.

HARAWAY, Donna. “Manifesto Ciborgue”. In: HARAWAY, Donna; KUNZRU, Hari; TADEU, Tomaz (Orgs.). Antropologia do ciborgue: As vertigens do pós-humano. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p. 33-117.

HARAWAY, Donna. “Gênero para um dicionário marxista: a política de uma palavra”. Cadernos Pagu. n. 22, p. 201-246, 2004. Disponível em https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644638. Acesso em 10/07/2020.

HARAWAY, Donna. “Fragmentos: quanto como uma folha”. Mediações. Londrina, v. 20, n. 1, p. 48-68, jan.-jun., 2015. Disponível em http://www.uel.br/revistas/uel//index.php/mediacoes/article/view/23252. Acesso em 10/07/2020.

HARAWAY, Donna. “O Manifesto das espécies companheiras”. In: BRANDÃO, Izabel; CAVALCANTI, Ildney; COSTA, Claudia de Lima; LIMA, Ana Cecília. Traduções da Cultura: Perspectivas Críticas Feministas 1970-2010. Florianópolis: Editora Mulheres, 2017. p. 722-745.

HARAWAY, Donna; AZERÊDO, Sandra. “Companhias multiespécies nas naturezaculturas: uma conversa entre Donna Haraway e Sandra Azerêdo”. In: MACIEL, Maria Esther (Org.) Pensar/escrever o animal: ensaios de zoopoética e biopolítica. Florianópolis: EdUFSC, 2011. p. 389-417.

HARAWAY, Donna. Seguir con el problema. Generar parentesco en el Chthuluceno. Trad. de Helen Torres. Bilbao: Edición Consonni, 2019.

SHELLEY, Mary. O último homem. Trad. de Marcella Furtado. São Paulo: Landmark, 2007.

Downloads

Publicado

2021-10-21

Edição

Seção

Resenhas