Mulatas profissionais: raça, gênero e ocupação

Sonia Maria Giacomini

Resumo


http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2006000100006

Baseado em pesquisa realizada junto a um grupo de mulheres negras inscritas no II Curso de Formação Profissional de Mulatas, promovido pelo SENAC-RJ, o artigo resgata e analisa as categorias através das quais as alunas representam sua condição de mulata e a passagem à condição de mulata profissional. Representante e mediadora de uma brasilidade que se faz feminina, sensual e mestiça, a mulata profissional se debate, necessária e permanentemente, entre dois pólos, simultaneamente profissionais e morais: de um lado, o pólo positivo, da dançarina; de outro lado, o pólo negativo e ameaçador, da prostituta.


Palavras-chave


mulheres negras – profissão, sexualidade, discriminação sexual e racial

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2006000100006

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.