OBJEÇÃO DE CONSCIÊNCIA, ABORTO E RELIGIOSIDADE: PRÁTICAS E COMPORTAMENTOS DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM LISBOA

Rozeli Maria Porto

Resumo


Neste artigo, discuto a presença da dimensão religiosa na biomedicina que se manifesta nos discursos, nas práticas e nos comportamentos desses profissionais em Lisboa quando o assunto refere-se ao aborto. Ao mesmo tempo, observo que tal religiosidade não se configura homogeneamente entre os sujeitos, pois muitos ao se declararem objetores de consciência utilizam esse protocolo como poder simbólico,2 afetando as mulheres em seus direitos reprodutivos. Foram realizadas 12 entrevistas semi-estruturadas durante o doutoradosanduíche com profissionais de saúde que trabalhavam em diferentes instituições hospitalares nesse país.


Palavras-chave


Aborto; Objeção de consciência; Biomedicina; Religiosidade; Profissionais de saúde

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2008000200021

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Licença Creative Commons
A Revista Estudos Feministas está sob a licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

 

Revista Estudos Feministas, ISSN 1806-9584, Florianópolis, Brasil.