De interpretatione recta / Da tradução correta

Leonardo Bruni Aretino, Mauri Furlan

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1980-4237.2011n10p16

LEONARDO BRUNI (1374-1444), escritor, político, filólogo, filósofo, historiador, professor de retórica, tradutor, é considerado o mais talentoso e versátil dentre os jovens que pertenciam ao círculo de Coluccio Salutati (1331- 1406), por volta do ano de 1400, e, sendo um dos primeiros seguidores de Petrarca (1303-1374) a possuir um verdadeiro conhecimento da língua grega, ajudou a direcionar o movimento humanista para o interesse do helenismo, o que teve importantes conseqüências na evolução do pensamento europeu. O texto De interpretatione recta, datado entre os anos de 1420 a 1426, foi anexado a sua tradução da Ethica Nicomachea (1414-18), de Aristóteles (384-322), como conseqüência dos problemas suscitados por sua tradução em confronto com uma antiga tradução existente. Esse famoso texto é considerado o primeiro tratado moderno em apresentar de forma independente reflexões sobre a tarefa de traduzir, em especial sobre a tradução literária. Folena (1991) situa o tratado de Bruni, “il più meditato e penetrante di tutto l’umanesimo europeo”, no ponto de inflexão entre a história medieval e moderna da tradução e de sua teorização. Com ele se inicia a história dos manuais de tradução. Não em vão, em seu ensaio se documenta por primeira vez a palavra traduco.


Palavras-chave


Teoria da tradução; História da tradução; Leonardo Bruni

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4237.2011n10p16

Sci. Trad., © 2005, UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1980-4237

Creative Commons License
Scientia Traductionis is licensed under a Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.