De fã para fã: as traduções de Chrono Trigger

Autores

  • Rafael Müller Galhardi Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4237.2014n15p140

Palavras-chave:

Videogames, Localização, Tradução de fãs, Transcriação, Chrono Trigger

Resumo

Este trabalho foi desenvolvido sob as perspectivas dos Estudos de Tradução em geral e das traduções de fãs em particular. Através da análise das traducões ao português do Brasil do jogo Chrono Trigger feitas por fãs, foi possível demonstrar como eles chegaram a resultados similares aos produzidos por profissionais da indústria de localização. Para definir os objetos da análise, foram priorizados teóricos que abordam o fenômeno da tradução desde um ponto de vista cultural, como Nord (1994), Newmark (1998), Vermeer (1987) e Fish (1980), além de ser destacado o conceito de “transcriação” utilizado por Mangiron e O’Hagan (2006). O recorte de termos culturais – ainda que de um universo ficcional – permitiu a investigação dos aspectos da tradução que colocam em maior evidência o choque entre duas ou mais culturas. Com esse intento, utilizou-se uma adaptação da proposta de Venuti (1995) a respeito de como traduzir um texto culturalmente marcado em conjunto com as técnicas de tradução sugeridas por Molina e Hurtado (2002). A partir daí, foram analisados os nomes dos personagens em Chrono Trigger nas traduções de dois grupos de fãs: CBT e Ips Center.

ABSTRACT

This paper was written under the umbrella of Translation Studies in general and of fan translation and game translation in particular. Through the analysis of the translation into Brazilian Portguese made by fans of the game Chrono Trigger it was possible to show how fans may get results similar to those achieved by localization professionals. In order to define the object of our analysis we prioritized a cultural approach to translation following authors such as Nord (1994), Newmark (1998), Vermeer (1987) and Fish (1980). We have also used the concept of “transcreation” as employed by Mangiron and O’Hagan (2006). The selection of cultural terms from the game – despite it being a fictional universe – allowed for the investigation of aspects of those translations that highlight the clash of two or more different cultures. With that in mind, an adaptation of Venuti’s translation proposal (1995) on how to translate cultural marked texts was used, along with the translation techniques suggested by Molina and Hurtado (2002). The names of the characters in Chrono Trigger were then analyzed in the translation of two groups of fans: CBT and Ips Center.

Keywords: Videogames; Localization; Fan translation; Transcreation; Chrono Trigger

Biografia do Autor

Rafael Müller Galhardi, Universidade Federal da Bahia

Mestre em Tradução e Acessibilidade pela Universidade Federal da Bahia (2013). Atualmente é bacharelando em Direito também pela UFBA e professor dos cursos CNA e PROFICI.

Downloads

Publicado

2014-12-17

Edição

Seção

Dossiê – Localização de games: um olhar interdisciplinar (org. Gustavo Althoff)