Sobre as ruínas de Babel - A construção da tradução em Borges

Melanie Patrizia Strasser

Resumo


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1980-4237.2013n13p150

Este artigo pretende apresentar o papel da tradução e a construção da relação entre original e tradução em Jorge Luis Borges. Partindo do mito de Babel, será demonstrada a superação das suas implicações melancólicas de perda e incompletude em Borges. Através da afirmação da falácia de um texto definitivo e do caráter de rascunho de todo texto – cujo sentido não é descoberto, mas vai sendo construido –, da ilusão da suposta fidelidade do tradutor – e portanto, da dessacralização do original e da valorização da tradução enquanto força transformadora –, Borges vai desconstruir o lugar inferior tradicional da tradução em relação ao original.

ABSTRACT

The present paper discusses the role of translation in Jorge Luis Borges and his construction of the relation between original and translation. Starting from the myth of Babel, it will be demonstrated how Borges overcomes its melancholic implications of loss and incompleteness. By making evident the fallacy of a definitive text and that every text is a draft – whose meaning is not discovered, but con-structed -, that the translator’s suppo-sed fidelity is an illusion – thus demystifying the original and valuing translation as a transformative power, Borges deconstructs the traditional inferior status of translation in relation to the original.

Keywords: Translation Studies; Jorge Luis Borges; Babel; Melancholy, Deconstruction.



Palavras-chave


Teoria da Tradução; Jorge Luis Borges; Babel; Melancolia; Desconstrução.

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Sci. Trad., © 2005, UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 1980-4237

Creative Commons License
Scientia Traductionis is licensed under a Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.