Os porquês de Wanda Tinasky não ser Thomas Pynchon – um estudo de caso (I)

Saulo Cunha de Serpa Brandão

Resumo


Este trabalho relata uma experiência prática em que utilizo algumas funcionalidades do software Neolo para analisar três grupos de textos: 1. Escritos não ficcionais de Thomas Pynchon; 2. As cartas de Wanda Tinasky; e, 3. Cartas que foram publicadas em reação às ideias de Wanda no mesmo jornal. O objetivo é mostrar que é possível comprovar que as cartas de Wanda não foram escritas por Pynchon como criam alguns especialistas da obra do ficcionista. O professor Donald Foster já fez essa comprovação seguindo uma investigação tradicional, histórica. Neste texto demonstrarei como a distinção pode ser feita a partir de análise computacional e atende a métodos quantitativo, qualitativos e aliados a algum dado histórico para fortalecer a proposta. Um último objetivo que almejo com este trabalho é demonstrar que não é preciso fórmulas arrojadas e complexas para fazer o trabalho de distinguir estilo de autores.

Palavras-chave


Thomas Pynchon; Wanda Tinasky; Neolo; Cartas

Texto completo:

PDF/A

Referências


ANDERSON, B. The letters of Wanda Tinasky. San Francisco: Vers Libre Press, 1996.

EDER, M. “Does size matter?”, Digital Scholarship in the Humanities, London, Vol. 30, No 2: 167-182, 2015.

BRANDÃO, S. C. S. Neolo. Disponível em https://github.com/joshuacrogey/neolo. Acesso em 22/01/2016.

_________. A necessidade faz a oportunidade: software Neolo. Texto Digital, Florianópolis, V. 13, No 1, 124-140, 2017.

FOSTER, D. Author unknown: Tales of a Literary Detective. New York: Henry Holt and Company, 2000.

LAROSE, Daniel T. Discovering Knowledge in Data: An Introduction to Data Mining. Hoboken (NY): John Willey & Sons, 2005.

LOVE, H. Attributing authorship: An introduction. Cambridge; New York:

Cambridge University Press, 2002.

PENG, R. e Nicolas HENGARTNER. Quantitative analysis of literary styles. The American Statistician, v. 56, n. 3, p. 175-185, 2001.

SANTOS, Glauber Eduardo de Oliveira. Cálculo amostral: calculadora on-line. Disponível em: http://www.calculoamostral.vai.la . Acesso em: 23/4/2016.

TORRUELLA, J.; R. CAPSADA. Lexical Statistics and Typological Structures: A

Measure of Lexical Richness. Procedia, No 95: 447-454, 2013.




DOI: https://doi.org/10.5007/1807-9288.2018v14n2p144



Direitos autorais 2018 Saulo Cunha de Serpa Brandão

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Texto DigitalUniversidade Federal de Santa CatarinaFlorianópolisSanta Catarina, Brasil. ISSNe 1807-9288

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.