Autores-leitores da tradição literária: a literatura digital como ação preservacionista

Pablo Gobira, Fernanda Corrêa

Resumo


Este trabalho tem como objetivo identificar e analisar obras literárias digitais em que as noções de autor e leitor se aproximam em experiências narrativas e poéticas constituídas a partir de apropriações de textos da tradição literária. Essa abordagem se dá a partir da composição de obras literárias digitais, nas quais o ato de “ler”, nas relações entre literatura e tecnologia, pode significar também um modo de preservação da tradição, quando a reconstrói para avançá-la, repetindo - muitas vezes até por meio de interatividade do leitor - um modo de reviver o texto literário de modo diverso. Discutimos, no artigo, as obras digitais: MUPs (2013), de Jhave, iLibShakespeare (2014), de Scot Gresham-Lancaster e Tim Perkis; e o MyNovel (2006), de Alan Bigelow. Esses trabalhos foram selecionados do repositório digital Turbulence, o que permitirá que ilustremos o resgate da tradição através do desenvolvimento estético de obras, constituindo esse “autor-leitor” que age em conjunto para a composição da obra digital.


Palavras-chave


Artes digitais; Literatura digital; Preservação digital; Leitor; Autor

Texto completo:

PDF/A

Referências


BENJAMIN, Walter. A obra de arte na época da possibilidade de sua reprodução técnica. In: BENJAMIN, Walter. Estética e sociologia da arte. Belo Horizonte: Autêntica, 2017. p. 7-47.

BENJAMIN, Walter. Passagens. Belo Horizonte: UFMG, 2018. (Vol. 1, 2 e 3)

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. In: BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1987. p. 222-232.

COMPAGNON, Antoine. O trabalho da citação. Trad. Cleonice P. B. Mourão. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1996.

ELIOT, Thomas Stearns. Tradição e talento individual. In: ELIOT, Thomas Stearns. Ensaios. São Paulo: Art Editora, 1989. p. 37-48.

GOBIRA, Pablo. Por uma preservação integral da obra de arte digital: anotações sobre arte tecnológica. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, vol. 4, n.3, Campinas, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8646335. Acesso em: 10 jun. 2019.

GOBIRA, Pablo.; CORRÊA, Fernanda. A preservação digital da poesia: uma análise do Arquivo Digital da PO.EX. In: GOBIRA, Pablo. (org.). A memória do digital e outras questões das artes e museologia. Belo Horizonte: EdUEMG, 2019. p. 165-188. Disponível em: http://eduemg.uemg.br/component/k2/item/161-a-memoria-do-digital-e-outras-questoes-das-artes-e-museologia. Acesso em: 10 jun. 2019.

ISOU, Isidore. Introduction à une nouvelle poésie et à une nouvelle musique. Paris: Gallimard, 1947.

KOZAK, Claudia. Comunidades experimentales y literatura digital en Latinoamérica. Virtualis, v. 9, n. 17, janeiro-junho 2018. p. 9-35. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=7085400. Acesso em: 10 jun. 2019.

MALRAUX, André. O museu imaginário. Lisboa: Edições 70, 2017.

MARCUS, Greil. Lipstick traces: a secret history of the twentieth century. Cambridge: Harvard University Press, 1990.

SAFATLE, Wladimir. Cinismo e falência da crítica. São Paulo: Boitempo, 2008.

TURBULENCE. Disponível em: http://turbulence.org/. Acesso em: 10 jun. 2019.

WARBURG, Aby. L’Atlas Mnémosyne. Paris: l’Écarquillé, 2012.




DOI: https://doi.org/10.5007/1807-9288.2019v15n2p181



Direitos autorais 2020 Pablo Gobira, Fernanda Corrêa

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Texto DigitalUniversidade Federal de Santa CatarinaFlorianópolisSanta Catarina, Brasil. ISSNe 1807-9288

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.