Fraseologias zoonímicas relativas a peixes, cetáceos e crustáceos: um estudo comparativo entre o português do Brasil e o alemão

Autores

  • Tito Lívio Cruz Romão Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2013v2n32p81

Palavras-chave:

fraseologia, peixes, crustáceos

Resumo

Ao escrever sua carta a El-Rei D. Manuel sobre o achamento do Brasil, Pêro Vaz de Caminha ressaltou a presença de “(...) papagaios vermelhos, muito grandes e formosos, e dois verdes pequeninos (...)” na Ilha de Vera Cruz. Também explicou um dado então curioso: “Não há aqui nem boi, nem vaca, nem cabra, nem ovelha, nem galinha, nem qualquer outra alimária”. No espaço linguístico-cultural do Português do Brasil, existe uma série de fraseologias (expressões idiomáticas, expressões feitas, provérbios, colocações etc.), cujo tecido imagético ostenta figuras de animais. Da mesma maneira, no espaço linguístico-cultural dos países de língua alemã, existe uma imensa variedade de fraseologismos que utilizam metáforas zoonímicas. Quando inseridas no grupo de animais supostamente universais na ótica do mundo ocidental, tais metáforas não costumam causar grandes problemas ao se buscarem correspondentes numa e na outra língua. Trata-se de metáforas que têm sua origem em passagens bíblicas, em fábulas de Esopo e La Fontaine, dentre outros. Com este trabalho, pretende-se proceder a uma análise acurada de metáforas zoonímicas referentes a nomes de peixes, crustáceos e cetáceos. Vejam-se, à guisa de ilustração, estes exemplos: a) estar / ficar um siri na lata = rotsehen / auf die Palme kommen / die Wände hochgehen; b) soltar arraia = einen Drachen steigen lassen; c) não tenho nada a ver com peixe = das ist nicht meine Baustelle / den Schuh zieh ich mir nicht an / damit habe ich nichts im Sinn. O objetivo principal deste trabalho é verificar, com base em diferentes exemplos de expressões populares e / ou eruditas brasileiras, a problemática da tradução intercultural a ser processada nas situações acima descritas, bem como elencar expressões tipicamente brasileiras com designações de peixes, crustáceos e cetáceos, acompanhadas de no mínimo uma proposta de tradução para a língua alemã. Outro objetivo específico deste trabalho é averiguar se as expressões brasileiras que contêm designações de peixes, crustáceos e cetáceos encontram-se elencadas em dicionários bilíngues português-alemão. Caso não estejam, serão feitas propostas de tradução para as expressões aqui elencadas.

Biografia do Autor

Tito Lívio Cruz Romão, Universidade Federal do Ceará

Romão received a doctor’s degree in Translation Studies from Universidade Federal de Santa Catarina. He has graduate degrees in French and Portuguese Languages and Literatures, from Universidade Estadual do Ceará (1984), in English Language and Literature, from Universidade Estadual de Ceará (1985), a master’s degree in Applied Linguistics (Translation) from Johannes Gutenberg-Universität Mainz/Germany (1990) and he is a major in Conference Interpreting (Simultaneous and Consecutive) from Karl Ruprecht-Universität Heidelberg/Germany (1992). Since 1993, he has been a professor of German language and culture in the Portuguese and German Language, Literature, and Linguistics graduate course at Universidade Federal do Ceará. Ceará, Brazil. Email: cruzromao@terra.com.br

Downloads

Publicado

2013-08-07

Edição

Seção

Artigos