Reflexões sobre a tipologia da interpretação de línguas de sinais

Maria Cristina Pires Pereira

Resumo


Este texto parte de uma revisão bibliográfica com o objetivo de refletir sobre a tipologia aplicada, atualmente, à interpretação de língua de sinais. Ainda não chegamos a um consenso nem sobre os termos tradução e interpretação e somente a utilização de determinada terminologia, sem a consideração de outras possibilidades mais abrangentes de conceituação, não consegue alcançar a precisão que temos que perseguir para que consigamos intercâmbios de pesquisa que consigam dialogar.


Palavras-chave


Estudos da Tradução; Estudos da Interpretação; Interpretação de Língua de Sinais; Tipologia; Terminologia

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALBRES, Neiva Aquino. Tradução e interpretação em Língua de Sinais como objeto de estudo: produção acadêmica brasileira: 1980 a 2006. In: 2o Encontro dos profissionais tradutores intérpretes de língua brasileira de sinais de Mato Grosso do Sul - 2o EPILMS, 2006, Campo Grande. ANAIS do 2o EPILMS. Campo Grande - MS: APILMS, 2006. v. 2.

ANTONINI, Rachele The study of child language brokering: Past, current and emerging research. MediAzioni 10, 2010.

BARROS, Mariângela Estelita. ELiS – Escrita das Línguas de Sinais: proposta teórica e verificação prática. Tese (Doutorado em Linguística), Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, 2008.

BERGERON, Louis-Félix. Typologie de Systèmes Écrits Pour les Langues Signées. RELQ/QSJL. Vol I, No. 2, Printemps/Spring 2006.

BICOM. Promoting Bilingual & Intercultural Competencies in Public Health. Ad hoc-interpreting in hospitals. Disponível em: . Acesso em 03/06/2013.

BIDAR-SIELAFF, Shiva et al. Sight Translation and Written Translation: Guidelines for Healthcare Interpreters. National Council on Interpreting in Health Care Working Papers Series. 2009.

BOT, Hanneke. Dialogue interpreting as a specific case of reported speech. Interpreting, 7:2, p. 237–261, 2005.

BRAUN, Sabine. Multimedia communication technologies and their impact on interpreting. Audiovisual Translation Scenarios: Conference Proceedings, MuTra 2006.

CARDOZO, Maurício; HEIDERMANN, Werner; WEININGER, Markus (Eds.). A Escola Tradutológica de Leipzig. Frankfurt am Main: Peter Lang, 2009

DRESSLER, Richard A.; KREUZ, Roger J. Transcribing Oral Discourse: A Survey and a Model System. Discourse Processes, 29(1), p.25-36, 2000.

ESQUIVEL, Adriana. Language Brokering a Dynamic Phenomenon: A Qualitative Study Examining the Experiences of Latina/o Language Brokers. Scripps Senior Theses. Paper 52. Disponível em: . Acesso em 07 nov. 2012.

FLORES, Glenn et al. Errors in Medical Interpretation and Their Potential Clinical Consequences in Pediatric Encounters. PEDIATRICS Vol. 111 No. 1 January 1, p. 6 -14, 2003.

______. The Impact of Medical Interpreter Services on the Quality of Health Care: A Systematic Review. Medical Care Research and Review. vol. 62 no. 3 255-299, 2005.

FRYDRYCH, Laura Amaral Kümmel. Transcrição da Interpretação para a Libras: Uma Abordagem Enunciativa. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Letras). Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas. Instituto de Letras. Universidade federal do Rio Grande do Sul. 2010.

FUENTE, Esther Álvarez de la. Análisis Lingüístico de la Traducción Natural: Datos de Producción de dos Niños Gemelos Bilingües Inglés/Español. Facultad De Filosofía y Letras Departamento de Filología Inglesa. Doctorado en Traducción e Interpretación. Universidad de Valladolid, 2007.

FURTADO, Marco Mendes; ALMEIDA, Paula Ramalho; PASCOAL, Sara Cerqueira. Formar Intérpretes à Distância: O ensino da interpretação remota e de teleconferência no ISCAP. Polissema: Revista de Letras do Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto, N.9, p. 170-197, 2009.

GILE, Daniel. Translation Research versus Interpreting Research: Kinship, Differences and Prospects for Partnership. In: SCHÄFFNER, Christina (ed.). Translation Research and Interpreting Research: Traditions, Gaps and Synergies. Clevedon: Multilingual Matters Ltd, 2004. p. 10-43

GORSZCZYNSKA, Paula. The Potential of Sight Translation to Optimize Written Translation. In: AZADIBOUGAR, Omid (ed.). Translation Effects. Selected Papers of the CETRA Research Seminar in Translation Studies 2009. Disponível em: . Acesso em: 25 out. 2013. Publicado em 2010.

GRBIĆ, Nadja; PÖLLABAUER, Sonja. Community Interpreting: signed or spoken? Types, modes, and methods. In: HERTOG, Erik; VEER, Bart van der (eds).Taking Stock: Research and Methodology in Community Interpreting. Linguistica Antverpiensia, New Series – Themes in Translation Studies (LANS – TTS), p. 247-261, 2006.

HALL, Nigel; GUÉRY, Frédérique. Child Language Brokering: Some considerations. MediAzioni 10, 2010.

HARRIS, Brian. The importance of natural translation. (Revised version of a paper presented at the AILA World Congress, Stuttgart, August 1975). Working Papers in Bilingualism 12.96-114. Reprinted as Working Papers in Translatology 2, Ottawa, School of Translators and Interpreters, University of Ottawa. 1977.

______; SHERWOOD, Bianca. Translating as an Innate Skill. Paper to the NATO Symposium on Language Interpretation and Communication, at the Giorgio Cini Foundation, Venice, 1977. Published in the proceedings, 1978.

______. An Annotated Chronological Bibliography of a Century of Natural Translation Studies: 1908-2008. Disponível em: . Acesso em 20 mai 2011.

IVARS, Amparo Jiménez. La Traducción a la Vista. Un Análisis Descriptivo. Tese (Doutorado em Tradução e Comunicação). Facultat de Ciències Humanes i Socials. Universitat Jaume I, 1999.

JACOBS, Elizabeth A. et al. Impact of Interpreter Services on Delivery of Health Care to Limited–English-proficient Patients. Journal of General Internal Medicine, Volume 16, Issue 7, pages 468–474, July 2001.

KARLINER, Leah S. et al. Do Professional Interpreters Improve Clinical Care for Patients with Limited English Proficiency? A Systematic Review of the Literature. Health Services Research, Volume 42, Issue 2, pages 727–754, April 2007.

LESSA-DE-OLIVEIRA, Adriana Stella Cardoso. Libras escrita: o desafio de representar uma língua tridimensional por um sistema de escrita linear. ReVEL, v. 10, n. 19, 2012.

LUCIANO, Anita Holm Thomsen. A Interpretação Simultânea sob a ótica da Linguística Aplicada. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada). Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, 2005.

MACHADO, Emilia; FAMULARO, Rosana. Programa de Formación de Formadores de Intérpretes de Sordos Organizado por la FMS y la Unesco (Informe). Montevideo, Uruguay, noviembre 2001. Disponível em: . Acesso em 10 mar. 2010.

MEYER, Bernd. Ad hoc interpreting for partially language-proficient patients: participation in multilingual constellations. In: BARALDI, Claudio; GAVIOLI, Laura (eds.). Coordinating Participation in Dialogue Interpreting. Jonh Benjamins Publishing Company, p. 99-113, 2012.

MIKKELSON, H. The Professionalization of Community Interpreting. Monterey Institute of International Studies. 2004. Disponível em: . Acesso em: 30 set. 2013.

MORALES, Alejandro; HANSON, William E. Language Brokering: An Integrative Review of the Literature. Hispanic Journal of Behavioral Sciences, Vol. 27 No. 4, p. 471-503, November 2005.

NAJIT - National Association of Judiciary Interpreters & Translators. Modes of Interpreting: Simultaneous, Consecutive, & Sight Translation. Position Papers, May 15, 2006. Seattle: NAJIT, 2006.

NÁPOLES, Anna M. et al. Clinician Ratings of Interpreter Mediated Visits in Underserved Primary Care Settings with Ad hoc, In-person Professional, and Video Conferencing Modes. J Health Care Poor Underserved. 21(1): 301–317, 2010.

NICODEMUS, Brenda; EMMOREY, Karen. Direction asymmetries in spoken and signed language interpreting. Bilingualism: Language and Cognition, Volume 16, Issue 03, p. 624- 636, July 2013.

OCHS, Elinor. Transcription as Theory. 1979.

PEREIRA, Maria Cristina Pires; FRONZA, Cátia de Azevedo. Sistema Signwriting como uma Possibilidade na Alfabetização de Pessoas Surdas. In: (anais do VII) Encontro do Círculo Lingüístico do Sul (CELSUL). Pelotas: UCPEL e UFPEL. 2006.

______. Interpretação interlíngüe: as especificidades da interpretação de língua de sinais. Cadernos de Tradução XXI, Vol. 1, p. 135-156. Florianópolis: UFSC, PGET: 2008.

PÖCHHACKER, Franz. Introducing Interpreting Studies. London: Routledge, 2004.

PUST, Carolina Plaza. Sign Bilingual Education and Inter-modal Language Contact: On the Relation of Psycholinguistic and Pedagogical Factors in Deaf Bilingualism. In: COHEN, James et al. Proceedings of the 4th International Symposium on Bilingualism (ISB4). Cascadilla Press Somerville, MA 2005.

QUADROS, Ronice Müller de. As categorias vazias pronominais: uma análise alternativa com base na Libras e reflexos no processo de aquisição. Dissertação (Mestrado em Linguística e Letras), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 1995.

______. Educação de Surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre: Artmed, 1997.

QUEIROZ, Mylene. Interpretação Médica no Brasil. Dissertação (Mestrado em Estudos da Tradução). Pós-Graduacao em Estudos da Tradução, Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, 2011.

RODRIGUES, Carlos Henrique. Situações de Incompreensão Vivenciadas por Professor Ouvinte e Alunos Surdos na Sala de Aula: Processos Interpretativos e Oportunidades de Aprendizagem. Dissertação (Mestrado em Educação), Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, 2008.

______. Da interpretação comunitária à interpretação de conferência: desafios para formação de intérpretes de língua de sinais. In: Anais do II Congresso Brasileiro de Pesquisa em Tradução e Interpretação de Língua de Sinais Brasileira, 2010, Florianópolis. Florianópolis: UFSC, 2010. p.01-07. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2012.

______. A interpretação para a Língua de Sinais Brasileira: efeitos de modalidade e processos inferenciais. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada), Universidade Federal de Minas Gerais, 2013.

RUSSO, M. Community Interpreter, Liaison interpreter, ad hoc interpreter, Intercultural Mediator. What kind of curriculum for such multifaceted profession? In: Professionalization of interpreting in the community. International Conference Critical Link 4. Stockholm, Sweden, p. 1-9, 2004.

SAMPAIO, Glória Regina Loreto. Mastering Sight Translation Skills. Tradução e Comunicação, v. 16, p. 63-69, 2007.

SANTOS, Silvana Aguiar dos. Intérpretes de Língua Brasileira de Sinais: Um Estudo sobre as Identidades. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Santa Catarina, 2006.

______. Tradução/interpretação de língua de sinais no Brasil: uma análise das teses e dissertações de 1990 a 2010.Tese (Doutorado em Estudos da Tradução). Universidade Federal de Santa Catarina, 2013.

SCHJOLDAGER, Anne. Review article: Silvana E. Carr, Roda Roberts, Aideen Dufour, and Dini Steyn (eds.): The Critical Link: Interpreters in the Community. Papers from the First International Conference on Interpreting in Legal, Health, and Social Service Settings (Geneva Park, Canada, June 1-4, 1995). Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 1997.

STUMPF, Marianne Rossi. Aprendizagem de Escrita de Língua de Sinais pelo sistema SignWriting: Linguas de Sinais no papel e no computador. Porto Alegre: UFRGS, CINTED, PGIE, 2005.

TRICKETT, Edison J., SORANI, Sandra; BIRMAN, Dina. Towards an ecology of the culture broker role: Past work and future directions, mediAzioni 10, 2010.

WADENSJÖ, Cecilia. Dialogue Interpreting and the Distribution of Responsibility. Hermes, Journal of Linguistics no. 14, p. 111-131, 1995.

______. Interpreting as Interaction. London/New York: Longman. 1998.

______. Dialogue interpreting: A monologising practice in a dialogically organised world. Target 16:1, p. 105–124, 2004.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2015v35nesp2p46



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.