Compreensão responsiva ativa e autonomia relativa do sujeito no ensino e na aprendizagem da escrita: uma análise interpretativista

Autores

  • Wilder Kleber Fernandes de Santana Universidade Federal da Paraíba
  • Silvio Nunes da Silva Júnior Universidade Federal de Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8420.2020v21n2p30

Palavras-chave:

Abordagem Dialógica, Leitura, Produção.

Resumo

Dentro da área reflexiva e transdisciplinar da Linguística Aplicada (LEFFA, 2001; MOITA LOPES, 2006), este trabalho propõe uma reflexão acerca da compreensão responsiva ativa e da autonomia relativa de alunos inseridos num contexto de ensino e aprendizagem da escrita em língua portuguesa sob a ótica interpretativista. Para tanto, retomamos os conceitos de dialogismo e de compreensão responsiva ativa, formulados nos escritos do chamado Círculo de Bakhtin (VOLÓCHINOV, 2017[1929]; BAKHTIN, 2006 [1979]) e autores subjacentes (SANTANA, 2019; SILVA JÚNIOR; CRUZ, 2019; ZOZZOLI, 2002, 2012), enfatizando a interação discursiva nas práticas sociais, e a noção de autonomia relativa, proposta por Zozzoli (1999, 2006). Na perspectiva qualitativa de pesquisa (ROHLING, 2014; BORTONI-RICARDO, 2008), os dados foram coletados no âmbito de uma instituição pública de ensino básico situada no interior do estado de Alagoas durante o primeiro semestre do ano de 2018. A experiência foi efetuada a partir da leitura de um texto-base, coletado na internet, e consequente momento de produção escrita de textos que versavam sobre o mesmo tema pelos alunos. A análise empreendida revelou que, entre as produções analisadas, apresentam-se graus diferentes de compreensão dos alunos, sem que nenhuma tenha configurado compreensão passiva do sujeito diante do texto-base apresentado. A pesquisa indicou, em linhas gerais, que a abordagem dialógica do professor favorece a construção da autonomia relativa do aluno leitor e produtor de textos, o que ficou evidenciado nas articulações que os sujeitos fizeram da leitura e discussão em sala com aspectos da vida social em seus textos escritos.

Biografia do Autor

Wilder Kleber Fernandes de Santana, Universidade Federal da Paraíba

Doutorando e Mestre em Linguística pela Universidade Federal da Paraíba (Proling-UFPB). Mestre em Teologia pela Faculdade Teológica Nacional (FTN) e Especialista em Gestão da Educação Municipal pela Universidade Federal da Paraíba (Pradime-UFPB). Bolsista Capes.

Silvio Nunes da Silva Júnior, Universidade Federal de Alagoas

Doutorando e mestre em Linguística pelo Programa de Pós-graduação em Linguística e Literatura da Universidade Federal de Alagoas (PPGLL/UFAL). Membro do Grupo de Pesquisa Discurso, Ensino e Aprendizagem de Línguas e Literaturas (GEDEALL/CNPq/UFAL) e do Grupo de Estudo das Narrativas Alagoanas (GENA/CNPq/UNEAL).

Referências

ADAM, J-M. A lingüística textual: uma introdução à análise textual dos discursos. São Paulo: Cortez, 2008.

ARAÚJO, Antonio Cícero. A responsividade ativa de uma professora de Português do Ensino Fundamental: suas leituras, suas produções e sua prática. Tese (Doutorado em Linguística), Universidade Federal de Alagoas, 2011.

BAKHTIN, Mikhail. Para uma filosofia do Ato Responsável. Tradução de Valdemir Miotello & Carlos Alberto Faraco. 2. ed. São Carlos: Pedro e João, 2010 [1920-24]).

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal.6. ed. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2006 [1979].

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

FARACO, Carlos. Alberto. Criação ideológica e dialogismo. In: FARACO, Carlos Alberto. Linguagem e diálogo: as ideias linguísticas do círculo de Bakhtin. Curitiba: Criar, 2003, p. 45-85.

GRILLO, Sheila. Marxismo e Filosofia da linguagem: uma resposta à ciência da linguagem do século XIX e início do XX. Ensaio introdutório. In: VOLOCHÍNOV, V. N. (círculo de Bakhtin). Marxismo e filosofia da linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo – Ensaio introdutório de Sheila Grillo. São Paulo: Editora 34, 2017, p.7-79.

LEFFA, Vilson José. A linguística aplicada e seu compromisso com a sociedade. In: Congresso Brasileiro de Linguística Aplicada, v. 6, Belo Horizonte, 2001.

MEDVIÉDEV, Pável Nikoláievitch. O Método Formal nos estudos literários: introdução a uma poética sociológica. Tradutoras: Sheila Camargo Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Contexto, 2012 [1928].

MOITA LOPES, Luiz Paulo da. Linguística aplicada e vida contemporânea: problematização dos construtos que têm orientado a pesquisa. In: MOITA LOPES, Luiz Paulo da (Org.). Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006, p. 85-107.

ROHLING, Nívea. As bases epistêmicas da análise dialógica do discurso na pesquisa qualitativa em linguística aplicada. L&S Cadernos de Linguagem e Sociedade, v. 15, p. 44-60, 2014.

SANTANA, Wilder Kleber Fernandes de. Questões de linguagem: os gêneros do discurso em perspectiva dialógica. Revista de Divulgação Científica em Língua Portuguesa, Linguística e Literatur, ano 14, n. 23, p. 1-12, 2º semestre de 2018.

SANTANA, Wilder Kleber Fernandes de. As fronteiras como espaço sócio-axiológico. In: SANTANA, Wilder Kleber Fernandes de. Relações linguísticas e axio(dia)lógicas: sobre linguagem e enunciação. João Pessoa: Ideia, 2019, p. 76-83.

SANTANA, Wilder Kleber Fernandes de; LEAL, J. L. M. SILVEIRA, E. L. O enunciado concreto sob as vestes do dialogismo: contribuições teórico-analíticas do círculo de Bakhtin. RevLet – Revista Virtual de Letras, v. 11, n. 01, p. 267-278, 2019.

SILVA JÚNIOR, Silvio Nunes da; CRUZ, Antonia Maria Medeiros da. A compreensão responsiva ativa do aluno em uma prática de letramento literário no Ensino Médio. Revista Interfaces, v. 10, p. 53-65, 2019.

SILVA JÚNIOR, Silvio Nunes da; SANTANA, W. K. F. Abordagem dialógica no ensino de língua portuguesa: táticas para se “desviar” do método formal. Humanidades & Inovação, v. 7, p. 284-293, 2020.

VOLÓCHINOV, Valentin. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: 34, 2017.

ZOZZOLI, Rita Maria Diniz. Produção e autonomia relativa na aprendizagem de línguas. In: LEFFA, V (Org.) Pesquisa em Linguística Aplicada: temas e métodos. Pelotas: EDUCAT, 2006, p. 105-143.

ZOZZOLI, Rita Maria Diniz. O processo de constituição de uma gramática do aluno leitor/produtor de textos: a busca de autonomia. Trabalhos em Linguística Aplicada, UNICAMP/Campinas, v. 33, p. 7-21, 1999.

Downloads

Publicado

2020-12-10