A apropriação de recursos linguístico-discursivos necessários à interação via carta: um estudo de caso em linguística aplicada

Autores

  • Milene Bazarim Doutoranda em Ciências da Linguagem da Universidade Católica de Pernambuco Professora Assistente na Universidade Federal de Campina Grande https://orcid.org/0000-0002-1889-4386
  • Ana Cláudia da Silva Evaristo Universidade Federal de Campina Grande.

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8420.2020v21n2p236

Palavras-chave:

Interação, Carta, Estágio, Linguística Aplicada

Resumo

Este trabalho apresenta os resultados de uma pesquisa sobre a troca de cartas entre uma professora estagiária de Língua Portuguesa e seus alunos do sétimo ano do Ensino Fundamental de uma escola pública da Paraíba (PB). Essa pesquisa se insere no campo aplicado de estudos de linguagem, fundamentando-se teoricamente na concepção de interação do círculo de Bakhtin e de letramento dos novos estudos de letramento. Do ponto de vista metodológico, trata-se de uma pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso. Os resultados apontam que a troca de cartas teve efeitos nos letramentos, pois, devido ao papel de andaime que a escrita da professora desempenhou, os alunos se apropriaram dos recursos linguístico-discursivos da estrutura composicional prototípica do gênero carta pessoal.

Biografia do Autor

Milene Bazarim, Doutoranda em Ciências da Linguagem da Universidade Católica de Pernambuco Professora Assistente na Universidade Federal de Campina Grande

Possui graduação em Letras pela Universidade Federal do Paraná (2002), especialização em Metodologia de Ensino de Língua Portuguesa (2004) e mestrado em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (2006). Está cursando o doutorado em Ciências da Linguagem na Universidade Católica de Pernambuco. É organizadora, juntamente com Adair Vieira Gonçalves, do livro  Interação, gêneros e letramento: a (re)escrita e foco, Ed. Pontes, 2013, no qual também publicou o artigo Os gêneros na construção da interação entre professora e aluno(s) e os impactos no processo de ensino-aprendizagem da escrita. Já atuou como professora de Língua Portuguesa na Educação Básica. Atualmente, é professora assistente da Unidade Acadêmica de Letras (UAL) da UFCG, na qual ministra as seguintes disciplinas:  Morfologia do Vocábulo, Paradigmas de Ensino, Tópicos Especiais de Língua Portuguesa e Linguística - Correção de Textos do Ensino Fundamental; Tópicos Especiais de Língua Portuguesa e Linguística - Correção de Textos do Ensino Médio, Planejamento e Avaliação. Áreas de pesquisa: linguagem e educação;  interação mediada pela escrita; alfabetização e letramento; letramento literário; processos de inovação no ensino-aprendizagem de Língua Portuguesa; letramento do professor; entre outras. Membro do grupo de pesquisa "Teorias de Linguagem e Ensino" e pesquisadora no projeto "Gêneros textuais como objeto de ensino: perspectivas teóricas e instrumentos pedagógicos", coordenado pela Profa. Dra. Maria Augusta Gonçalves de Macedo Reinaldo.

Referências

ANTUNES, Celso. Vygotsky, quem diria?! em minha sala de aula. Fascículo 12. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

BAKHTIN, Mikhail (VOLOCHINOV). Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução de Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. São Paulo: Hucitec, 1979.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In: Estética da criação verbal. Tradução de Maria Ermantina Galvão G. Pereira. São Paulo, Martins Fontes, 1992, p. 277-326.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. Organização, tradução, posfácio e notas de Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2016.

BARTON, David; HAMILTON, Mary. Literacy practices. In: BARTON, David; HAMILTON, Mary; IVANIC, Roz (Orgs.). Situated literacies. London: Routledge, 2000. p. 07-15.

BAZARIM, Milene. Construindo com a escrita interações improváveis entre professora e alunos do ensino fundamental de uma escola pública da periferia de Campinas. 2006. 108 f. Dissertação. (Mestrado em Linguística Aplicada). Instituto de Estudos da Linguagem. Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/269737 . Acesso em: 08 set. 2019.

BAZARIM, Milene. Metodologias de pesquisa aplicadas ao contexto de ensino-aprendizagem de línguas. In: XII Congresso Nacional de Linguística e Filologia. Anais. Rio de Janeiro: CIFEFIL, 2008. Disponível em: https://docplayer.com.br/1714825-Metodologias-de-pesquisa-aplicadas-ao-contexto-de-ensino-aprendizagem-de-linguas.html. Acesso em: 28 mai. 2020.

BAZARIM, Milene; PEREIRA, Regina Celi Mendes. Dos parâmetros situacionais aos mecanismos e responsabilização enunciativa em cartas pessoais. Veredas. Vol. 21, nº 3, 2017, p. 181-193. Disponível em: http://www.ufjf.br/revistaveredas/files/2017/11/10-Dos-par%C3%A2metros-situacionais-aos-mecanismos.pdf . Acesso em: 08 set. 2019.

EVARISTO, Ana Cláudia da Silva; BAZARIM, Milene. Os efeitos da interação mediada por cartas nos letramentos dos alunos. Linha Mestra. Ano XII, n. 36, 2018, p. 444-450. Disponível em: http://lm.alb.org.br/index.php/lm/article/download/143/152 Acesso em: 08 set. 2019.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2009.

KLEIMAN. Angela B. Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas, SP, Mercado de Letras, 1995.

KLEIMAN, Angela B. Preciso “ensinar” letramento? Não basta ensinar a ler a escrever? Campinas-SP: Cefiel/IEL/Unicamp, 2005.

MOREIRA, Herivelto; CALEFFE, Luiz Gonzaga. Metodologias da pesquisa para o professor pesquisador. 2.ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2008.

MORIN, André. Pesquisa-ação integral e sistêmica – uma antropopedagogia renovada. Rio de Janeiro: DPA, 2004.

OLIVEIRA, Maria do Socorro; KLEIMAN, Ângela Bustos (orgs.). Letramentos múltiplos: agentes, práticas, representações. Natal-RN: EDUFRN, 2008.

PALMA-FILHO, José Cardoso. Estudo de caso. In: COELHO, J.G. et al. Pedagogia Cidadã: Cadernos de Formação: Metodologia de Pesquisa Científica e Educacional. São Paulo: UNESP, 2004, p. 123-126.

SIGNORINI, Inês. Gêneros Catalisadores, letramento e formação do professor. São Paulo – SP: Parábola, 2006.

SILVA, Jane Quintiliano Guimarães. Um estudo sobre o gênero carta pessoal: das práticas comunicativas aos indícios de interatividade na escrita de textos. 2002. 209 f. Tese. (Doutorado em Estudos Linguísticos). Faculdade de Letras. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte-MG.

STAKE, E.E. The Case Estudy Method in Social Inquiry. Educacional Researcher, v.7, n.2, fevereiro, 1978.

STREET, Brian V. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Tradução de Marcos Bagno. São Paulo: Parábola, 2014.

VYGOTSKY, L.S. Formação social da mente. 4..ed. São Paulo, Martins Fontes, 1991.

VOLOCHINOV. Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução, notas e glossário de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2017.

Downloads

Publicado

2020-12-10