O estudo das relações socias dos bebês na creche: uma abordagem interdisciplinar

Ângela Maria Scalabrin Coutinho

Resumo


Esta comunicação tem por objetivo apresentar algumas reflexões sobre a produção no campo da sociologia e da educação sobre os bebês e as suas relações sociais no contexto da creche, bem como as possibilidades de diálogo entre diferentes áreas do conhecimento no estudo de problemáticas interdisciplinares como são as relacionadas às crianças e às suas infâncias. Para tanto, toma como referência uma pesquisa de doutoramento em andamento que tem como objetivo investigar as relações socioeducativas dos bebês, no sentido de buscar indicações para a formação das professoras de educação infantil. Algumas perguntas que orientam o estudo são: A capacidade atribuída às crianças requer que se aprofunde o conhecimento de seus modos de organização a partir da análise das relações entre os bebés, dada a forma como estruturam suas interações e modos de comunicação, assim, em que medida as significações autônomas que produzem, já anunciadas por outros estudos, se consolidam em sistemas simbólicos padronizados? Em que medida os bebês reinterpretam a cultura societal nas suas ações sociais? Que relações se estabelecem no interior das interações entre os pares? Pensar de modo específico a ação social dos bebês a partir do diálogo da educação com a sociologia parece-nos uma possibilidade de buscar indicativos para os cursos de formação de professoras, que muitas vezes excluem dos seus currículos as especificidades dos processos educativos com as crianças bem pequenas, temática também bastante ausente na produção teórica das áreas.


Palavras-chave


Educação Infantil; Creche; Bebês

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2009n19p17

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.