A política de organização das infâncias e o currículo da Educação Infantil e do primeiro ano

Autores

  • Ruhena Kelber AbrÃo Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2012n25p51

Palavras-chave:

Educação Infantil, Currículo, Políticas Públicas

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar a implantação dos nove anos no Ensino Fundamental, a partir dos documentos oficiais do Ministério da Educação que regem a Educação Infantil e anos iniciais em nosso país. Tendo por referência os Parâmetros Curriculares, busca-se compreender qual ou quais influências os documentos oficiais têm no currículo escolar. A metodologia empregada é inspirada no Estudo de Caso, contanto com múltiplas fontes de evidências, permitindo categorizar o trabalho no espaço do currículo na sala de aula da Educação Infantil e do primeiro ano. A partir desses indicadores, características como a espontaneidade, criatividade, imaginação e divertimento, bem como a dimensão do corpo e das atividades corporais tendem a se perder, dando lugar aos cronogramas escolares cheios de conteúdos a serem desenvolvidos em um curto período de tempo, na qual o professor trabalha conteúdos diversos.

Biografia do Autor

Ruhena Kelber AbrÃo, Universidade Federal de Pelotas

Mestre em Educação Física. Especialista em MBA Gestão de Recursos Humanos e em Educação Inclusiva. Graduado em Pedagogia Licenciatura Plena e Letras Inglês e respectivas literaturas. Acadêmico dos curso de Educação Física, especializando em Gestão Pública Municipal e Tecnologia da Informação e Comunicação da educação. Professor Pesquisador do curso de Pedagogia da Universidade Federal de Pelotas. Integrante do Núcleo de Estudos em Epistemologia e Educação em Ciências e e do Grupo de Pesquisa Cultura, Infância e Educação Infantil. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Gestão de Pessoas, Métodos e Técnicas de Ensino, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Infantil e Educação à Distância. 

Downloads

Publicado

2011-12-13