A BONECA BARBIE NA CULTURA LÚDICA: BRINQUEDO, INFÂNCIA E SUBJETIVAÇÃO

Autores

  • Michelle Brugnera Cruz Cechin
  • Thaise da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2012n26p20

Palavras-chave:

Infância, Subjetivação, Diversidade, Gênero, Jogos e Brinquedos.

Resumo

Envolta em um mundo de beleza, riqueza e aventura, a boneca Barbie está imersa em uma pedagogia cultural com o intuito de ensinar a supremacia de um tipo de corpo, raça e comportamento. O artigo tem como objetivo discutir as representações da boneca Barbie na cultura lúdica e o modo que ela tem afetado a construção das identidades infantis, especialmente em relação ao gênero e à diversidade cultural. Analisa-se o que estudos específicos têm revelado sobre as representações culturais da boneca. Para tanto, foram tomados como referencial os Estudos Culturais, tendo como marco teórico a abordagem Pós-Estruturalista de análise, tratando a boneca como um artefato cultural. Destacam-se seus efeitos produzidos na mídia e na configuração discursiva da infância.

 

 

Biografia do Autor

Thaise da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutoranda em Educação (UFRGS). Mestre em Educação (UFRGS). Especialista em Alfabetização (FAPA). Professora do curso de pós-graduação no Instituto Educacional do Rio Grande do Sul (IERGS) e da rede municipal de ensino de Porto Alegre.

Downloads

Publicado

2012-06-21