Gênero como uma dimensão de qualidade: uma análise do processo de construção dos indicadores de qualidade da educação infantil paulistana

Carolina Faria Alvarenga, Cláudia Pereira Vianna

Resumo


As relações de gênero ganharam visibilidade no enfrentamento das desigualdades no âmbito das políticas educacionais mais recentes. Contudo, um retrocesso em relação à agenda de gênero veta sua menção em vários documentos de políticas educacionais, como os planos de educação, e controla as práticas escolares. Contra essa tendência e permeado por tensões e contradições, tivemos no contexto da Educação Infantil na capital paulista, um movimento oposto: a inserção do gênero na construção dos Indicadores de Qualidade da Educação Infantil Paulistana. Portanto, este artigo, parte de uma pesquisa de doutorado, baseia-se nas articulações teóricas entre Joan Scott e Norbert Elias para analisar o processo de construção dessa política pública educacional que leva para a Educação Infantil um tema polêmico, como o das relações de gênero, e supõe o exame do jogo de disputas, de poder, de tensões, concessões e desafios que configurou tal política.

Palavras-chave


Gênero; Educação infantil; Política pública; São Paulo; Indicadores de qualidade

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2018v20n37p11

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.