Niunamenos: feminismo, pedagogias e poéticas da resistência

Autores

  • Adriana Alves da Silva Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2018v20n37p221

Palavras-chave:

Creche, Poéticas da resistência, Feminismo transnacional, Literatura infantil

Resumo

O presente texto apresenta reflexões tecidas em um percurso de pesquisa e criação no campo da pedagogia da infância, tendo como ponto de partida dimensões simbólicas da luta contra o feminicidio no contexto da creche. Parte da pesquisa realizada em um estágio de doutorado na Itália em 2012 e da atual experiência docente em uma creche da rede municipal de Florianópolis. Esta complexa trama de vivências inclui ações educativas realizadas em diversos contextos e agências da/na Educação Infantil, incluindo bebês, crianças pequenas, docentes, famílias e pesquisadoras/es. Através de intervenções artísticas em um projeto intitulado "Contos de fadas em movimento: feminismo, educação e arte” buscamos promover processos criativos com personagens femininas da literatura clássica ocidental: Cinderela, Chapeuzinho Vermelho, a pobre órfã dos Sapatinhos Vermelhos, entre outras tendo como estratégia metodológica o uso da literatura dos “contos de fadas/horror” como chave para a problematização das violências que perpassam as relações de gênero e que são narradas há séculos e gerações pelo mundo. A proposta busca desconstruir estereótipos e normatizações de comportamentos entre homens/meninos e mulheres/meninas e visa provocar deslocamentos de sentidos, transformações e criações de novas narrativas, com possibilidades nas entrelinhas das histórias de semear conceitos feministas: de sororidade, empoderamento feminino, princípios políticos emergentes à uma pedagogia descolonizadora emancipadora.

Downloads

Publicado

2018-05-21