As contribuições da abordagem Pikler-Lóczy para a constituição de uma pedagogia para os bebês: uma análise dos princípios orientadores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2020v22n41p47

Palavras-chave:

Bebês, Educação de 0 a 3 anos, Pikler-Lóczy, Princípios

Resumo

O presente artigo, fruto de uma revisão de literatura de cunho qualitativo, tem como objetivo analisar os princípios orientadores da abordagem Pikler-Lóczy. O corpus de análise foi constituído por artigos, monografias, dissertações e teses que tratam da abordagem. A partir da produção analisada identificaram-se quatro princípios orientadores: 1) o profundo respeito pelo bebê e sua individualidade, reconhecendo-o como sujeito de direitos; 2) a valoração da atividade autônoma do bebê, baseada em suas próprias iniciativas, aliada ao foco no desenvolvimento gradativo da autonomia; 3) a importância do vínculo entre adulto e bebê, construído com base em uma relação afetiva privilegiada e de qualidade nos momentos de cuidados; 4) a liberdade de movimentos, para um brincar livre e uma livre exploração de si mesmo e do entorno. Pôde-se concluir que tais princípios constituem a grande contribuição da pediatra Emmi Pikler ao campo da Educação Infantil atual, no sentido de levar à ressignificação da pedagogia para/com os bebês de 0 a 3 anos, indicando que as práticas pedagógicas nessa faixa etária se orientem por dois pilares: o cuidado e as relações. 

Biografia do Autor

Giovanna Castro Dalledone, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Paraná.

Ângela Scalabrin Coutinho, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Doutora em Estudos da Criança pela Universidade do Minho, Portugal. Professora titular do Departamento de Teoria e Prática do Ensino do Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná.

Referências

APPELL, Geneviève. Foco en... Emmi Pikler y Lóczy. Revista In-fan-cia, Barcelona, p. 28-34. out. 2003.

APPELL, Geneviève; DAVID, Myriam. Lóczy, uma insólita atención personal. Barcelona: Octaedro, 2010.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 20 abr. 2019.

BRASIL. Lei nº 11.274, de 6 de fevereiro de 2006. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11274.htm. Acesso em: 20 abr. 2019.

CONEJO, Patricia de La Torre. Aportes Pikler-Lòczy em la escuela infantil: construyendo una pedagogia de lo cotidiano. 47 f. Universidade de Cantábria, 2014.

FALK, Judit. Cuidado personal y prevención. Revista In-fan-cia, Barcelona, p. 34-38, nov./dez. 1990.

FALK, Judit. La estabilidad para la continuidad y calidad de lãs atenciones y relaciones. Revista In-fan-cia, Barcelona, v. 80, p. 4-10. jul./ago. 2003.

FALK, Judit (org.). Educar os três primeiros anos: a experiência de Lóczy. Araraquara: Junqueira&Marin, 2011.

FALK, Judit (org.). Abordagem Pikler, educação infantil. São Paulo: Omnisciência, 2016.

FOCHI, Paulo. “Mas os bebês fazem o quê no berçário, heim?”: documentando ações de comunicação, autonomia e saber-fazer de crianças de 6 a 14 meses em contextos de vida coletiva. 172 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Programa de Pós Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

FOMASI, Inge; TRAVAGLINI, Paulette Jaquet. Cuidados corporales de acuerdo com los principios de Pikler. Revista RELAdEI, Santiago de Compostela, v. 5.3, p. 66-78, set. 2016.

FRANÇA, Dirce Barroso. O abrigo como verdadeiro espaço de proteção: o que Lóczy pode nos ensinar? Publicado em: Grupo de Trabalho Nacional Pró-Convivência Familiar e Comunitária: fazendo valer um direito – PACHECO, A. e CABRAL, C. (org.). pp. 177-182. Rio de Janeiro, 2009.

GABRIEL, Marília Reginato. Contribuições de um programa de acompanhamento baseado na abordagem pikleriana para a promoção da qualidade das interações educadora-bebê. 170 f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

GIMAEL, Patricia. As quatro dimensões da Abordagem Pikleriana e sua relação dinâmica. 2015. Disponível em: https://patriciagimael.wordpress.com/2015/01/07/as-quatro-dimensoes-da-abordagem-pikleriana-e-sua-relacao-dinamica/. Acesso em: 20 abr. 2019.

HEVESI, Katalin. La participación del pequeno em la atención personal. Revista In-fan-cia, Barcelona, p. 14-18, jul./ago. 1993.

IZAGUIRRE, Elena Herrán. La Educación Pikler-Lóczy: cuando educar empieza por cuidar. Revista RELAdEI, Santiago de Compostela, v. 2, p. 37-56, dez. 2013.

MONSÚ, Michelle Zilli. Os princípios de Lóczy e a prática pedagógica na educação de bebês. 40 f. Trabalho de Graduação (Licenciatura em Pedagogia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

ÒDENA, Pepa. Emmi Pikler y la educación de los más pequeños. Revista In-fan-cia, Barcelona, v. 81, p. 26-30. set./out. 2003.

TARDOS, Anna; SZANTO-FEDER, Agnès. O que é a autonomia na primeira infância? In: FALK, Judit (org.). Educar os três primeiros anos: a experiência de Lóczy. Araraquara: Junqueira&Marin, 2011. p. 39-52.

TARDOS, Anna. Autonomia e/ou dependência. In: FALK, Judit (org.). Abordagem Pikler, educação infantil. São Paulo: Omnisciência, 2016.p. 50-59.

TARDOS, Anna. A herdeira de Lóczy. Revista Educação Infantil, n. 7, 2013. Disponível em: http://www.revistaei.com.br/edicao/7/entrevista/a-herdeira-de-loczy-. Acesso em: 12 out. 2017.

Downloads

Publicado

2020-04-24