Crianças Deslocadas: Narrativas em territórios das palavras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2021.e72297

Palavras-chave:

Crianças deslocadas, Crianças refugiadas, ACNUR

Resumo

Este artigo aborda crianças em situação de deslocamento/refúgio, em busca da compreensão de suas experiências. Analisa, ainda, documentos disponíveis no site do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) - Agência da Organização das Nações Unidas (ONU) para Refugiados, na proposta de construir os significados da palavra “criança(s)”, bebê(s)” e “infância(s)” presentes nos textos e que retratam a maneira como são concebidos esses sujeitos de pouca idade pelas sociedades que os acolhem.

Biografia do Autor

Flávia Miller Naethe Motta, UFRRJ/PPGEDUC

Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Professora Associada do Departamento de Educação e Sociedade. Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Ministra as disciplinas Estágio Supervisionado em Educação Infantil e Didática. Psicóloga Escolar. Coordenadora do GEPELID - Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Linguagem e Diversidade que desenvolve os projetos de pesquisa:"O que dizem as crianças sobre viver no exílio: estudo com crianças refugiadas sobre a experiência de diáspora" e "Em busca de uma heterociência: ética, estética e epistemologia numa perspectiva Bakhtiniana das Ciências Humanas".

Jader Janer Moreira Lopes, UFJF/PPGEUFF/PPGE

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1989), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1998), doutorado em Educação pela Universidade Federal Fluminense (2003) e pós-doutorado pelo Internationaler Promotionsstudiengang Erziehungswissenchaft/Psychologie- INEDD, da Universität Siegen, Alemanha. Atualmente é professor do programa de pós Graduação em Educação da Universidade Federal Fluminense e da Universidade Federal de Juiz de Fora, onde orienta mestrado e doutorado. Pesquisador da FAPERJ, do CNPq e CAPES. Atuou como membro do Grupo Gestor da Creche UFF. Coordenador do Grupo de Pesquisas e Estudos em Geografia da Infância (GRUPEGI). Vice coordenador do GT de Educação de Crianças de 0 a 7 anos da ANPED. Tem experiência na área de Geografia e Educação, Crianças e Infâncias, Desenvolvimento Humano e psicologia Histórico-cultural. Atua principalmente nos seguintes temas: Geografia - ensino/aprendizagem, Geografia da Infância e das Crianças, Educação Infantil, Desenvolvimento humano e Psicologia Histórico-cultural.

Referências

ACHIRON, Marilyn. Nacionalidade e Apatridia: manual para parlamentares. Comitê Permanente para a Democracia e os Direitos Humanos da União Interparlamentar (UIP) e Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). 2005. Disponível em http://archive.ipu.org/PDF/publications/nationality_p.pdf. Acesso em: 18 jun.2019.

ALTO COMISSARIADO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA OS REFUGIADOS (ACNUR). Protegendo refugiados no Brasil e no mundo. Disponível em https://www.acnur.org/fileadmin/Documentos/portugues/Publicacoes/2018/Cartilha_Protegendo_Refugiados_No_Brasil_2018.pdf?file=fileadmin/Documentos/portugues/Publicacoes/2018/Cartilha_Protegendo_Refugiados_No_Brasil_2018. Acesso em: 19 jun. 2019.

ALTO COMISSARIADO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA OS REFUGIADOS (ACNUR). Relatório anual Tendências Globais 2018. (Global Trends). 2019. Disponível em https://www.unhcr.org/5d08d7ee7.pdf#_ga=2.83994777.1225343878.1560779393-685702386.1530279534. Acesso em: 20 jun.2019.

ALTO COMISSARIADO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA OS REFUGIADOS (ACNUR). Cartilha para Refugiados no Brasil: direitos e deveres, documentação, soluções duradouras e contatos úteis. 2014. Disponível em https://www.acnur.org/portugues/wp-content/uploads/2018/02/Cartilha-para-Refugiados-no-Brasil_ACNUR-2014.pdf. Acesso em: 27 ago. 2019.

ALTO COMISSARIADO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA OS REFUGIADOS (ACNUR); Organização Não Governamental I Know My Rights (IKMR). O legado da fuga. Educação e refúgio no Brasil. 2019. Disponível em https://www.acnur.org/portugues/wp-content/uploads/2019/05/Legado-da-Fuga.pdf. Acesso em: 10 jan. 2020.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética: A Teoria do Romance. Tradução Aurora Fornoni Bernardini et al. 7. ed. São Paulo: HUCITEC, 2014.

BAKHTIN, Mikhail. O homem ao espelho. Apontamentos do ano 1940. São Carlos: Pedro & João Editores. 2019.

BANDEIRA, Manuel. Poesia Completa e Prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1993.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 16 jul. 1990. Disponível em: https://www.mdh.gov.br/todas-as-noticias/2019/maio/governo-federal-lanca-nova-edicao-do-estatuto-da-crianca-e-do-adolescente-eca/ECA2019digital.pdf

CALLIGARIS, Contardo. A liberdade de quem migra. Folha de São Paulo, 24 de maio de 2007. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq2405200724.htm Acesso em 28/07/2020.

CARVALHO, Carlos Roberto; MOTTA, Flavia Miller Naethe. Pesquisa em ciências humanas: em busca de uma heterociência bakhtiniana. Projeto de Pesquisa. PPGEDUC/UFRRJ. 2017. Não publicado.

CARVALHO, Carlos Roberto; MOTTA, Flavia Miller Naethe. Escrever responsável sob as condições do deserto (o compromisso com o outro e a contemporaneidade). Revista Teias (UERJ. Online), v. 14, p. 12-24, 2013.

DEMAND, Eva. Avanços e Desafios da Proteção Internacional no Brasil. In: Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR); Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH). Cadernos de Debates Refúgio, Migrações e Cidadania, v. 4, n. 4. Brasília: Instituto Migrações e Direitos Humanos. 2009, p. 27-38. Disponível em: https://www.acnur.org/portugues/wp-content/uploads/2018/02/Caderno-de-Debates-04_Ref%C3%BAgio-Migra%C3%A7%C3%B5es-e-Cidadania.pdf. Acesso em: 27 ago. 2019.

ELIAS, Norbert. A civilização dos pais. Soc. estado. Brasília, v. 27, n. 3, p. 469-493, Dec. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010269922012000300003&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 11 mar. 2020.

GERALDI, João Wanderley. Ancoragens – Estudos bakhtinianos. São Carlos: Pedro & João editores, 2010.

GYULAI, Gábor et al. Avaliação de credibilidade em procedimentos de refúgio – manual de treinamiento multidisciplinar. Hungarian Helsinki Committee. Hungria, 2013.

KONGO, Charly. Nosso apelo aos irmãos e irmãs brasileiras. In: Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). Cadernos de Debates Refúgio, Migrações e Cidadania, v. 9, n. 9, Brasília: Instituto Migrações e Direitos Humanos, p. 103-108, 2014. Disponível em https://www.acnur.org/portugues/wp-content/uploads/2018/02/Caderno-de-Debates-09_Ref%C3%BAgio-Migra%C3%A7%C3%B5es-e-Cidadania.pdf. Acesso em: 27 ago.08 2019.

LEÃO, Renato Zerbini R. O reconhecimento do refugiado no Brasil no século XXI. In: BARRETO, Luiz Paulo T. (Org.). Refúgio no Brasil: a proteção brasileira aos refugiados e seu impacto nas Américas. Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR)/Ministério da Justiça. – 1. ed. – Brasília, 2010, p. 70–97.

LEÃO, Renato Zerbini R. O conceito de refugiado, no Brasil, desde sua perspectiva normativa: os dez anos da Lei no 9.474/97 e a importância de seu artigo 1º. Cadernos de Debates Refúgio, Migrações e Cidadania, v.4, n. 4. Brasília: Instituto Migrações e Direitos Humanos, p. 39-72, 2009.

LOPES, Jader Janer Moreira; VASCONCELLOS, Tânia de. Geografia da Infância – reflexões sobre uma área de pesquisa. Juiz de Fora: FEME, 2005.

LOPES, Jader Janer Moreira Geografia das Crianças, Geografias das Infâncias: as contribuições da Geografia para os estudos das crianças e suas infâncias. Contexto & Educação. Editora Unijuí, ano 23, n. 79, p. 65-68, jan./jun. 2008.

OLIVEIRA, Talita Amaro et al. Pode Entrar: Português do Brasil para refugiadas e refugiados. Curso Popular Mafalda/ Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados/Caritas Arquidiocesana de São Paulo. São Paulo, 2015.

PONZIO. Augusto. A revolução bakhtiniana: o pensamento de Bakhtin e a ideologia contemporânea. 1 ed, 2 Reimpressão. Trad. coordenada por Valdemir Miotello. São Paulo: Contexto, 2011.

PRADO, Adélia. Direitos Humanos In: PRADO, Adélia. Poesia Reunida. Rio de Janeiro: Ed. Record, 2015, p. 345.

KRAMER, Sonia (Org.). Retratos de um desafio: crianças e adultos na Educação Infantil. São Paulo: Ática, 2009.

MEDINA, Cremilda Celeste de Araújo. A arte de tecer o presente, narrativa e cotidiano. São Paulo: Summus Editorial, 2003.

SUPLICY Eduardo M. Movimento “Brasileirinhos apátridas”: uma página vitoriosa na história dos brasileiros no exterior. In: Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). Cadernos de Debates Refúgio, Migrações e Cidadania, v.3, n. 3. Brasília: Instituto Migrações e Direitos Humanos, p. 19-24, 2008.

TODOROV, Tzevetan. A Conquista da América. A Questão do Outro. São Paulo, Ed. Martins Fontes. 1983. Disponível em: https://portalconservador.com/livros/Tzvetan-Todorov-A-Conquista-da-America.pdf. Acesso em: 20 ago. 2018.

Downloads

Publicado

2021-03-12