Crianças em busca de refúgio: reflexões sobre as solicitações infantis de refúgio ao Brasil até 2016

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2021.e73085

Palavras-chave:

Crianças Refugiadas, Migrações Internacionais, CONARE

Resumo

O presente estudo faz parte de um campo teórico de debate sobre a confluência entre as temáticas da infância e da migração forçada. Mais especificamente, faz uma análise da formação da infância refugiada no Brasil, a partir de uma de suas facetas: as solicitações de crianças registradas no Comitê Nacional para Refugiados. Essa análise está centrada na estatística descritiva do perfil de tais crianças, com base em dados disponibilizados pelo CONARE em 2017, constando os casos registrados até abril de 2016. Para esse intuito, o artigo parte de um tópico reflexivo sobre significados sociais da demanda por refúgio, para então passar à descrição quantitativa das solicitações infantis. Com base nesses dois tópicos, o artigo traz reflexões sobre a configuração da busca de crianças por refúgio nacionalmente e sobre a conexão dos movimentos migratórios refugiados com as distintas categorias geracionais. Em síntese, debate sobre a reverberação no Brasil dos fluxos derivantes da não garantia da proteção da vida de crianças em seu país de origem.

Biografia do Autor

Monique Roecker Lazarin

Mestre em Sociologia pela Universidade Federal de São Carlos e graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Seus estudos são voltados para as áreas de infância e migração. Atualmente trabalha com acolhida de imigrantes e refugiados em São Paulo.

Anete Abramowicz, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo.

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1996). Atualmente é professora titular da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, em 2010 concluiu um estágio de pós-doutoramento no CERLIS (Centre de recherche sur les liens sociaux) na Universidade Paris Descartes em Paris em sociologia da infância. Bolsista Produtividade do CNPq, nível 1C.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua I. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

AGAMBEN, Giorgio. Estado de exceção: Homo Sacer, II, I. São Paulo: Boitempo Editorial, 2007.

AGÊNCIA DA ONU POR REFUGIADOS [ACNUR]. Global Trends: Forced Displacement in 2018. Disponível em < https://www.unhcr.org/5d08d7ee7.pdf> acessado em: 04. dez. 2019.

AGIER, Michel. Refugiados diante da nova ordem mundial. Tempo Social, v. 18, n. 2, p. 197-215, 2006.

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 2008.

APPADURAI, Arjun. Soberania sem territorialidade. Revista Novos Estudos CEBRAP, v. 49, p. 33-46, 1997.

BENHABIB, Seyla. O declínio da soberania ou a emergência de normas cosmopolitanas? Repensando a cidadania em tempos voláteis. Civitas. Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 20-46 jan. - abr., 2012.

BOURDIEU, Pierre. Efeitos de lugar. In: BOURDIEU, Pierre. A Miséria do mundo. Petrópolis: Vozes, 2008. P. 159-166.

BUTLER, Judith. Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

CALEGARI, Marília. Refúgio e dinâmica familiar no Brasil. VI Congreso ALAP: Dinámica de población y desarrollo sostenible con equidad, 2014.

DE CARVALHO, José Murilo. Cidadania: tipos e percursos. Revista Estudos Históricos. v. 9, n.18, p.337-360, 1996.

ELIAS, Nobert. A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Zahar, 1994.

FELIX, Jorge. Saskia Sassen: “Não é imigração, é expulsão”. Ponto-e-Vírgula, São Paulo, n. 18, p.171-179, 2015.

FOLHA DE SÃO PAULO. Cada vez mais crianças venezuelanas chegam desacompanhadas ao Brasil. Disponível em < https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2019/12/cada-vez-mais-criancas-venezuelanas-chegam-desacompanhadas-ao-brasil.shtml> acessado em: 23 de Março. 2020.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade: curso no Còllege de France (1975-1976). São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FOUCAULT, Michel. Segurança, território, população: curso dado no Còllege de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: Ditos e escritos, v.8. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

FRAZÃO, Ana Carolina. Uma breve análise sobre o direito à nacionalidade. Jus Navigandi, v.4, n. 46, 2000.

GRAJZER, Deborah Esther. Crianças refugiadas: um olhar para infância e seus direitos. 2018. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Florianópolis, 2018.

JARDIM, Denise F. Imigrantes ou Refugiados? Tecnologias de controle e as fronteiras. Jundiaí: Paco Editorial, 2017.

LAZARIN, Monique Roecker. Quando A Infância Pede Refúgio: os processos de crianças no Comitê Nacional para os Refugiados. 2019. 130f. Mestrado (Dissertação) - Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2019.

LOPES, Jader Janer Então somos “mudantes”: Espaço, Lugar e Territórios de Identidade em crianças migrantes.2003. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal Fluminense. Niterói. 2003.

MARTUSCELLI, Patrícia Nabuco. O paradoxo da globalização e a migração infantil: algumas reflexões. In: VASCONCELO, A. M. N; BOTEGA, Tuíla. Política migratória e o paradoxo da globalização. Porto Alegre: EdiPucRS, 2015.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. São Paulo: n-1 edições, 2018.

PERALVA, Angelina; DA SILVA TELLES, Vera (Ed.). Ilegalismos na globalização: migrações, trabalho, mercados. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2015.

QVORTRUP, Jens. Nove teses sobre a “infância como um fenômeno social. Pro-Posições, Campinas, v.22, n.1, p.199-211, jan./abr., 2011.

SASSEN, Saskia. Expulsões: brutalidade e complexidade na economia global. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

TRINDADE, Maria Beatriz Rocha. Sociologia das migrações. Lisboa: Universidade Aberta, 1995.

UEBEL, Roberto Rodolfo Georg. Panorama e Perfil da Imigração Senegalesa no Rio Grande do Sul no início do século XXI. Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, n. 28, p. 56-77, set. 2016.

UENO, Laura Satoe. Constituindo-se entre dois mundos: crianças na migração Brasil-Japão. X/ Congresso da BRASA (Brazilian Studies Association), Mesa “Educação e Migração: Práticas Educacionais” realizado em Brasília-DF. Jul, 2010.

UNICEF, United Nations Children’s Fund. Uprooted: The growing crisis for refugee and migrant children. New York: set. 2016.

ZANFORLIN, Sophia Cavalcanti. A Construção Contemporânea Do Refugiado E Do Migrante: dos benefícios da condição de vítima à repreensão do protagonismo. Perspectiva, v. 16, n.1, p.134-146. 2013.

Downloads

Publicado

2021-03-12