Educação infantil e pobreza infantil em tempos de pandemia no Brasil: existirá um “novo normal”?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2021.e79044

Palavras-chave:

Educação Infantil, Pobreza infantil, Família, Trabalho docente, Pandemia

Resumo

É notório o apelo público por meio de veículos de comunicação para que a população brasileira invista esforços na constituição de um “novo normal” para balizar atividades cotidianas durante e após a pandemia. Com base no método dialético e investigação documental e bibliográfica, este artigo apresenta análises e reflexões sobre essa questão, considerando seus contornos e consequências para a educação de crianças de até seis anos de idade, assinalando expectativas sobre a ação de famílias e professores no processo de “isolamento social”. Destacam-se reflexões relativas à pobreza infantil, categoria analítica que amplia o olhar sobre a criança e sua condição de existência em um país capitalista, cuja política neoliberal tem estreitado os horizontes de direitos e levado à exaustão das forças do trabalhador e à exploração cruel do trabalho, aumentando os níveis de pobreza e miserabilidade e acirrando as contradições e a luta de classes.

Biografia do Autor

Ivone Garcia Barbosa, Universidade Federal de Goiás

Doutora em Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. Professora Titular na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás.

Marcos Antônio Soares, Universidade Federal de Goiás

Doutor em Educação.  Professor Associado na Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás.  Goiânia, Brasi

Referências

ANDERSEN, Hans Cristhian. A Roupa Nova do Imperador. Virtual Books, 2000. Disponível em: http://www.virtualbooks.com.br/v2/ebooks/pdf/00813.pdf.

ANDRADE, Carlos Drumond de. Antologia poética (organizada pelo autor). Rio de Janeiro: Record, 2001.

BARBOSA, Ivone Garcia. Educação Infantil e Formação de professores: relações e contradições entre trabalho, formação e Base Nacional comum curricular (BNCC). ANPED – Anais da 39ª Reunião Nacional (publicação eletrônica). Trabalho Encomendado. GT07 – Educação de Crianças de 0 a 6 anos, p. 1-23. Niterói, RJ: UFRJ, 2019. p. 1-23.

BARBOSA, Ivone Garcia. O método dialético na pesquisa em educação da infância: desafios e possibilidades para a Psicologia e a Educação. In: MONTEIRO, Filomena Maria de Arruda, MÜLLER, Maria Lúcia Rodrigues (Orgs.) Educação como espaço da cultura. v. II. Cuiabá, MT: EdUFMT, p. 277-287. 2006.

BARBOSA, Ivone Garcia. Pesquisa e ação política das universidades em defesa dos direitos da criança: reflexões e proposições. In: SARMENTO, Manuel Jacinto; FERNANDES, Natália; SIQUEIRA, Romilson Martins (Orgs.). Por uma luta sem fronteiras na defesa dos direitos da criança. Goiânia: Cânone, p. 61-78. 2020.

BARBOSA, Ivone Garcia; ALVES, Nancy Nonato de Lima; SILVEIRA, Telma Aparecida Teles Martins; SOARES, Marcos Antônio. A Educação Infantil no PNE: novo plano para antigas necessidades. Revista Retratos da Escola, Brasília, v.8, n. 15, p. 505-518, jul./dez. 2014.

BARBOSA, Ivone Garcia; MENDES, Esther Alves Lopes; OLIVEIRA, Fernanda Alves de. O direito à educação de crianças de 0 a 6 anos em diferentes contextos: a educação infantil do campo como direito humano e político-social. In: ZOIA, Alceu; PASUCH, Jaqueline; PERIPOLI, Odimar João (org.). Infâncias na diversidade Latino-Americana. Curitiba: CRV, p. 37-59. 2018.

BARBOSA, Ivone Garcia; SILVEIRA, Telma Aparecida Teles Martins. Infância, educação e trabalho: contradições no modo capitalista de viver. ANPED - Anais 39ª Reunião Nacional. Niterói, RJ: UFRJ, 2019. Disponível em: http://anais.anped.org.br/sites/default/files/arquivos_23_4. Acesso em: 06/08/2020.

BARBOSA, Ivone Garcia; SILVEIRA, Telma Aparecida Teles Martins; SOARES, Marcos Antônio. A BNCC da Educação Infantil e suas contradições: regulação versus autonomia. Revista Retratos da Escola, Brasília, v.13, n. 25, p. 77-90, jan./mai. 2019.

BARBOSA, Ivone Garcia; SOARES, Marcos Antônio. Educação estética na perspectiva histórico-cultural: contribuições à educação infantil de orientação dialética. In: PEDERIVA, Patrícia Lima Martins; BARROS, Daniela; PEQUENO Saulo (Orgs.). Educar na perspectiva históricocultural: diálogos vigotskianos. Campinas: Mercado de Letras, p. 137-160. 2018.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação – CNE. Resolução CNE/CEB n° 5/2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília, 2009.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 95, de 15 de dezembro de 2016. Brasília, DF: Câmara dos Deputados e Senado Federal, 2016.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Brasília, DF: Congresso Nacional, 2014.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, 1990.

BRASIL. Lei nº 9.394, 20 de dezembro de 1996. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: Presidência da República, 1996.

CAPUCHA, Luis. Desafios da pobreza. Oeiras, Portugal: Celta, 2005.

CARDIM, Maria Eduarda; RIOS, Renata. Isolamento social salvou 118 mil vidas em mês, estima estudo da UFRJ. Correio Braziliense. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2020/07/25/interna-brasil,875164/isolamento-social-salvou-118-mil-vidas-em-um-mes-estima-estudo-da-ufr.shtml. Acesso em: 03/11/2020.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. Comum – ensaio sobre a revolução no século XXI. Tradução Mariana Echalar. São Paulo: Boitempo, 2017.

ONU. Organização das Nações Unidas. Declaração Universal dos Direitos Humanos. 1948. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/declaracao-universal-dos-direitos-humanos. Acesso em: 20/11/2020.

ONU. Organização das Nações Unidas. Declaração Universal dos Direitos da Criança. 1959. Disponível em: http://www.dhnet.org.br/direitos/sip/onu/c_a/lex41.htm. Acesso em: 04/10/2020.

ONU. Organização das Nações Unidas. Convenção sobre os Direitos da Criança. 1989. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/convencao-sobre-os-direitos-da-crianca. Acesso em: 20/11/2020.

FERNANDES, Natália. Infância, direitos e participação – representações, práticas e poderes. Porto: Afrontamentos, 2009.

GENTILI, Pablo. O que há de novo nas novas formas de exclusão na educação? Neoliberalismo, trabalho e educação. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20 (1), jan./jun., p. 191-202. 1995.

HEYWOOD, Colin. Uma história da Infância. Porto Alegre: Artmed, 2004.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - PNAD Contínua. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/multidominio/condicoes-de-vida-desigualdade-e-pobreza/17270-pnad-continua.html?=&t=o-que-e. Acesso em: 10/10/2020.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira: 2019. Rio de Janeiro: IBGE, 2019.

KOPNIN, Pavel Vassílyevitch. A dialética como lógica e teoria do conhecimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

KORCZACK, Janusz. Quando eu voltar a ser criança. 12. ed. Trad. Yan Michalski. São Paulo: Summus, 1981.

KREIN, José Dari. O desmonte dos direitos, as novas configurações do trabalho e o esvaziamento da ação coletiva: consequências da reforma trabalhista. In: Dossiê-Sociedade, Trabalho e Sindicalismo na Contemporaneidade. Tempo Social. Vol.30 no.1 São Paulo Jan./Apr. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20702018000100077. Acesso em 01/11/2020.

MARQUEZ, Christine Garrido. As políticas multissetoriais e integradas do Banco Mundial no Brasil: a infância como capital humano do futuro.2016. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.

MARTINS, José de Souza. A sociedade vista do abismo – novos estudos sobre exclusão, pobreza e classes sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

MARX, Karl. Contribuição à critica da economia política. São Paulo: Martins Fontes, 1983.

OPAS/OMS. Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS)/Organização Mundial da Saúde (OMS). Dados sobre o novo coronavírus e a Covid-19. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6101:covid19&Itemid=875#datas-noticificacoes. Acesso em: 31/08/2020.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Pobreza infantil: Factos, Interpretações e Desafios Políticos. In: SARMENTO, Manuel Jacinto; VEIGA, Fátima (Org). Pobreza Infantil – realidades, desafios, propostas. Famalicão: Húmus, p. 179-191. 2010.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Visibilidade social e estudo da infância. In: VASCONCELLOS, Vera Maria Ramos de; SARMENTO, Manuel Jacinto (Org.). Infância (In)visível. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, p. 25-49. 2007.

SARMENTO, Manuel Jacinto; FERNANDES, Natália; SIQUEIRA, Romilson Martins (Org.). Por uma luta sem fronteiras na defesa dos direitos da criança. Goiânia: Cânone, 2020.

SARMENTO, Manuel Jacinto; GOUVEA, Maria Cristina Soares de. (Org.). Estudos da infância: educação e práticas sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

SARMENTO, Manuel Jacinto; VEIGA, Fátima (Org.). Pobreza infantil – realidades, desafios, propostas. Famalicão: Humus, 2010.

SOARES, Marcos Antônio. Entre sombras e flores: continuidades e rupturas na educação estética de devotos-artistas de Santos Reis. 2006. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2006.

STEARNS, Peter Nathaniel. A Infância. São Paulo: Contexto, 2006.

UFG. Universidade Federal de Goiás. 37% dos pacientes pediátricos da Tendinha UFG têm covid-19. Portal UFG. 2020. Disponível: https:www.ufg.br/n/132878. Acesso em 03/11/2020.

VIEIRA, Débora Alves Lopes. “Queria ter horário para fazer tudo...” trabalho, gênero e infância nos domicílios com atividade de confecções em Goiânia. 2018. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Faculdade de Ciências Sociais, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2018.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. Quarta aula: a questão do meio na pedologia. In: Psicologia USP, vol. 21, nº 4, p. 681-701, São Paulo, 2010. Trad. de Márcia P. Vinha.

WALLON, Henri. Psicologia e Educação da Infância. Lisboa: Estampa, 1975. Trad. de Ana Rabaça.

Downloads

Publicado

2021-01-29