Migração infantil e educação: entre silêncios e urgências no acesso a direitos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2021.e79134

Palavras-chave:

Migração infantil, Criança migrante, Direitos humanos, Educação

Resumo

O artigo analisou como a criança é abordada nos estudos migratórios e nos estudos sociais sobre a infância e teve como objetivo principal refletir como tais aportes podem contribuir para o reconhecimento e a efetivação de direitos das crianças migrantes. Para pensar o contexto brasileiro, a pesquisa empírica utilizou-se de dados educacionais da rede pública municipal de São Paulo, sendo a metodologia composta por uma revisão bibliográfica das áreas citadas junto a uma análise qualitativa de dados relativos a educação infantil. Conclui que as infâncias vividas entre deslocamentos têm se tornado objetos de estudos a partir das desigualdades conjunturais, ausência de proteção social e de direitos humanos. O atual contexto de pesquisa sobre deslocamentos populacionais ainda desconsidera a criança como foco central de suas análises, o que contribui para mantê-la a parte da sociedade ou invisibilizada nesses processos. Por outro lado, entendê-la como sujeito e a infância como uma construção social tornam-se fundamentais para avançar na efetivação de direitos independente de fronteiras e origens.

Biografia do Autor

Kátia Cristina Norões, Universidade Federal do Espírito Santo

Pós-doutoranda em Educação no Programa de Pós-graduação da UFES (2019). Doutora em Educação e Ciências Sociais pela Faculdade de Educação da UNICAMP. Vistiting Graduate Researcher na University of California - Los Angeles (2014-2015). Mestra em Educação e Ciências Sociais pela Faculdade de Educação da UNICAMP (2011). Especialização em Psicopedagogia pela Universidade Metodista de São Paulo (2006). Graduação em Pedagogia pela Universidade Metodista de São Paulo (2004).Docente na educação básica na rede municipal de educação da Prefeitura de São Paulo (2005 a 2014). Docente no ensino superior público e privado. Coordenação e docência em projetos sociais e em Organização Não-Governamental que atuam na área de Educação de Jovens e adultos e Curso preparatório para o exame vestibular direcionados a Afrobrasileiros e População de baixa renda, de 2002 a 2008. Pesquisas desenvolvidas ou em desenvolvimento nas áreas: Educação do Campo; Educação e Migrações Internacionais, Sociologia da Educação, Política Educacional, Direitos Humanos, Direito à Educação, Política Social, Movimentos Sociais, Educação Popular e formação de professores.

Referências

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Centro Gráfico, 1988.

BHABHA, Jacqueline. Child Migration and Human Rights in a Global Age. Princeton: Princeton University Press, 2014.

CELADE. Centro Latino-americano de Demografia. Impacto de las tendencias demográficas sobre los sectores sociales en América Latina: contribución al diseño de políticas y programas. Santiago [de] Chile: CELADE. 1996.

ELIAS, Norbert & SCOTSON, John L. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro, ed. Jorge Zahar, 2000.

FÓRUM SOCIAL MUNDIAL DAS MIGRAÇÕES. Declaração da Assembleia de Movimentos Sociais. São Paulo: CDHIC. 2016. Disponível em: http://cdhic.cut.org.br/system/uploads/action_file_version/2e438a5bd4826111ff6496898e2814cf/file/declaraoportugus.pdf Acesso em 01/10/2020.

FREITAS, Marcos Cezar de; SILVA, Ana Paula (2015). Crianças bolivianas na educação infantil de São Paulo: adaptação, vulnerabilidades e tensões. Cadernos de Pesquisa, 45(157), 680-702. 2015.

LEE, Everestt S. Uma teoria sobre a migração IN: MOURA, Hélio A. de. Migração Interna: textos selecionados. Fortaleza: Banco Nordeste do Brasil S.A, p. 89-114. (1980[1966])

MAGALHÃES, Giovanna Modé. Fronteiras do direito humano à educação: um estudo sobre os imigrantes bolivianos nas escolas públicas de São Paulo. Dissertação de Mestrado. São Paulo: Faculdades de Educação da USP. 2010.

MAZZA, Débora; NORÕES, Katia. (Orgs). Educação e migrações internas e internacionais: Um diálogo necessário. Jundiaí, Paco Editorial, 2016.

NORÕES. Katia C. De criança a estrangeira, de estrangeira a criança: mobilização social, agenda política e educação pública no município de São Paulo. Tese de Doutorado. Campinas: Faculdade de Educação da UNICAMP, 2018.

OIM. Glossário sobre Migrações (Direito Internacional da Migração, nº 22). 2009. Disponível em: https://publications.iom.int/system/files/pdf/iml22.pdf . Acesso em 01/10/2020.

OLIVEIRA, Gabriela C. de. A segunda geração de latino-americanos na cidade de São Paulo: a questão do idioma. REMHU - Rev. Interdiscipl. Mobil. Hum., Brasília, Ano XXII, n. 42, p. 213-230, jan./jun. 2014

PMSP. Educação: São Paulo tem menor fila de espera por creche. Secretaria Especial de Comunicação. 09/01/2020. Disponível em: http://www.capital.sp.gov.br/noticia/educacao-sao-paulo-tem-menor-fila-de-espera-por-creche-3 . Acesso em 01/10/2020.

QVORTRUP, Jens. A infância enquanto categoria estrutural. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 36, n.2, p. 631-643, maio/ago. 2010a.

QVORTRUP, Jens. Infância e política. Cadernos de Pesquisa. v.40, n.141, p.777-792, set./dez. 2010b.

RAVENSTEIN, Ernst G. As leis da migração. IN: MOURA, Hélio A. de. Migração Interna: textos selecionados. Fortaleza: Banco Nordeste do Brasil S.A., p.p. 24-87. (1980 [1885])

ROSEMBER, Fúlvia. Educação para quem? Ciência & Cultura, São Paulo, v. 28, n. 12, p. 1466-1471, 1976.

ROSEMBERG, Fúlvia; MARIANO, Carmem Lúcia Sussel. A convenção internacional sobre os direitos da criança: debates e tensões. Cad. Pesqui., São Paulo, v. 40, n. 141, p. 693-728, Dec. 2010.

SAYAD, Abdelmalek. A imigração. São Paulo: EDUSP, 1998.

SINGER, Paul. Migrações internas: considerações teóricas sobre o seu estudo IN: MOURA, Hélio A. de. Migração Interna: textos selecionados. Fortaleza: Banco Nordeste do Brasil S.A., p.p. 212-224. (1980 [1976]).

UNICEF GLOBAL DATABASE. Child Migrants and Refugees. 2019. Disponível em www.data.unicef.org . Acesso em 15/10/2020.

UNICEF. Lack of quality data compounds risks facing millions of refugee and migrant children. Unicef for every child. 2020. Disponível em: https://www.unicef.org/press-releases/lack-quality-data-compounds-risks-facing-millions-refugee-and-migrant-children Acesso em 15/10/2020.

YAQUB, Shahin. Independent Child Migrants in Developing Countries: Unexplored Links in Migration and Development. Innocenti Working Paper. no. 2009-02. 2009a. Disponível em: https://www.unicef-irc.org/publications/pdf/iwp_2009_01.pdf Acesso em 01/10/2020.

YAQUB, Shahin. Child Migrants with and without Parents: Census-based estimates of scale and characteristics in Argentina, Chile and South Africa, Innocenti Discussion Papers no. 2009-02. 2009b. Disponível em: https://www.unicef-irc.org/publications/549-child-migrants-with-and-without-parents-census-based-estimates-of-scale-and-characteristics.html Acesso em 01/10/2020.

WALDIMAN, Tatiana Chang. O acesso a educação escolar de imigrantes em São Paulo: a trajetória de um direito. Dissertação de mestrado. São Paulo: Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, 2012.

Downloads

Publicado

2021-03-12