Foucault e estudos organizacionais: ampliando as possibilidades de análise

Maria Cecília Pereira, Mayara Maria de Jesus Muniz, Juvêncio Braga de Lima

Resumo


Considerando a obra de Foucault e as interfaces de suas idéias com os estudos organizacionais, acredita-se que sua utilização deva ultrapassar a analítica do poder disciplinar. Objetivou-se apresentar uma proposta para a utilização das idéias de Foucault nesta pesquisa, considerando as três fases de sua obra: arqueologia, genealogia e ética. Ao focalizar a arqueologia, propõe-se o rompimento com alguns pressupostos do funcionalismo neste campo, priorizando o estudo dos “discursos organizacionais”. Quanto à genealogia, a proposta é avançar na análise do poder disciplinar, considerando a abordagem do poder relacional e da biopolítica, redirecionando a atenção da disciplina para o contexto institucional, no qual a organização está inserida. No que se refere à ética, defende-se que a análise das práticas deve incluir a análise das próprias “subjetividades”, constituintes da organização, perguntando-se quais são as escolhas dos membros organizacionais e como essas direcionam-se no ambiente de trabalho.

Palavras-chave


Foucault. Estudos Organizacionais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Revista de Ciências da Administração, Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Administração, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Para entrar em contato com a equipe editorial da Revista RCA, encaminhe um e-mail para rca.cse@contato.ufsc.br

ISSNe 2175-8077    ISSN 1516-3865

Licença Creative Commons
This obra is licensed under a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.