Economia solidária: possibilidade de (re)humanização do trabalho

Clesar Luiz Loch, Luciana Martins Amorim, Luciane Lehmkuhl Schmidt

Resumo


Este ensaio teórico busca suscitar algumas reflexões acerca do trabalho compreendido como elemento constitutivo do homem, porém, condicionado pela formação societal onde se insere. O trabalho pode ser concebido como fonte de criação, transformação e emancipação humana, como pode também assumir seus aspectos mais negativos, aqueles relacionados a tripalium. No modo de produção capitalista, onde o trabalho é concebido essencialmente como mero fator de produção, emergem suas conotações negativas. Por outro lado, princípios de modelos alternativos como o da economia solidária, de igualdade, de autonomia, por exemplo, podem representar um resgate da humanização do trabalho.


Palavras-chave


Capitalismo; Economia solidária; Trabalho

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8069.2008v10n20p57

Revista de Ciências da Administração, Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Administração, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Para entrar em contato com a equipe editorial da Revista RCA, encaminhe um e-mail para rca.cse@contato.ufsc.br

ISSNe 2175-8077    ISSN 1516-3865

Licença Creative Commons
This obra is licensed under a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.