Metodologia qualitativa e quantitativa nos estudos em administração e organizações: lições da história da ciência

Autores

  • Samuel Carvalho De Benedicto Universidade Federal de Lavras - UFLA
  • Gideon Carvalho de Benedicto Universidade Federal de Lavras - UFLA
  • Carlos Maciel Stieg Faculdades Integradas Adventistas de Minas Gerais - FADMINAS
  • Gustavo Henrique Nogueira de Andrade Universidade Federal de Lavras - UFLA

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8077.2011v13n30p39

Palavras-chave:

Metodologia qualitativa, Metodologia quantitativa, Estudos organizacionais, História da ciência.

Resumo

Este estudo de natureza teórica analisa as contribuições da história da ciência para a produção do conhecimento científico no campo da administração e estudos organizacionais. Dentre outros aspectos, verificou-se no estudo que: (i) as teorias concernentes aos estudos administrativos e organizacionais são falíveis e permanecem sujeitas a um aperfeiçoamento constante ou substituição; (ii) a realidade está sempre em mudança e não se pode congelá-la num modelo único; (iii) não existem teorias capazes de explicar todos os fenômenos administrativos e organizacionais. Assim, deve-se aceitar a ideia da necessidade de constante transformação, aperfeiçoamento e ampliação do conhecimento. Conformeevidenciado no trabalho, os estudos em administração e organizações testemunharam uma mudança de paradigma quando a escola clássica de administração foi questionada e acrescida de novos paradigmas. Dessa forma, esse campo de estudos tornou-se pluralístico, com conflito entre paradigmas e ciência normal, não sendo diferente as questões concernentes às suas metodologias de pesquisa. Neste contexto, a história da ciência pode prover importantes lições ao mostrar que a revolução científica não foi aceita pacificamente, senão por meio de acirradas discussões e aparentes contradições. Diversos autores buscaram uma aproximação entre as ciências sociais e das ciências naturais. Assim, a utilização conjunta de metodologias qualitativas e quantitativas está cada vez mais presente na pesquisa administrativa e organizacional conferindo uma maior legitimação às diversas formas de abordagem do tema. Os debates sobre qual a melhor abordagem permanecem, apesar de estar havendo um maior diálogo entre estas duas correntes de pensamento metodológico nas últimas décadas.

Biografia do Autor

Samuel Carvalho De Benedicto, Universidade Federal de Lavras - UFLA

Doutor em Administração pela Universidade Federal de Lavras. Professor dos Programas de Graduação e Pós-Graduação em Administração da Fundação Educacional de Oliveira - FEOL. Membro do Grupo de Estudos em Redes, Estratégia e Inovação (GEREI).

 

 

 

Gideon Carvalho de Benedicto, Universidade Federal de Lavras - UFLA

Doutor em Ciências Contábeis pela FEA/USP. Professor do Departamento de Administração e Economia da Universidade Federal de Lavras.

Carlos Maciel Stieg, Faculdades Integradas Adventistas de Minas Gerais - FADMINAS

Mestre em Ciências Contábeis pela Fundação Escola de Comércio Álvaro Penteado - FECAP. Professor das Faculdades Integradas Adventistas de Minas Gerais.

Gustavo Henrique Nogueira de Andrade, Universidade Federal de Lavras - UFLA

Mestrando em Administração no Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Lavras.

Downloads

Publicado

2011-08-10

Edição

Seção

Artigos