Governança Corporativa e Crises: mecanismos importantes durante ciclos econômicos distintos

Fernanda Maciel Peixoto, Hudson Fernandes Amaral, Laise Ferraz Correia, João Carlos Carvalho das Neves

Resumo


Esta pesquisa investigou se os mecanismos de governança corporativa, segundo a Teoria da Agência, assumem importâncias distintas em diferentes ciclos econômicos. O período foi de   2000 a 2009, segmentado em: crises locais (2000-2002); não crise (2003-2007); e crise global (2008-2009). Os mecanismos de governança analisados foram: estrutura de propriedade, conselhos de administração, compensação aos gestores, transparência e proteção aos minoritários. A metodologia envolveu: (a) análise de componentes principais, agregando em um indicador um conjunto de variáveis de governança; (b) reorganização dos componentes para verificar a contribuição das dimensões de governança no índice. Constatou-se que estrutura de propriedade foi o mecanismo menos relevante no período. Durante as crises locais, a dimensão de governança mais importante foi compensação aos gestores. Nos períodos de não crise e de crise global, o mecanismo mais relevante foi proteção aos minoritários. Transparência se mostrou gradativamente menos importante e conselho foi menos relevante do que  compensação e  proteção.

Palavras-chave


Governança Corporativa; Crises; Mecanismos

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8077.2014v16n39p119

Revista de Ciências da Administração, Universidade Federal de Santa Catarina, Departamento de Administração, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Para entrar em contato com a equipe editorial da Revista RCA, encaminhe um e-mail para rca.cse@contato.ufsc.br

ISSNe 2175-8077    ISSN 1516-3865

Licença Creative Commons
This obra is licensed under a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.