Práticas de governança e futebol: um estudo em clubes do Rio Grande do Sul

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8077.2020.e61620

Palavras-chave:

clubes de futebol, gestão esportiva, governança corporativa

Resumo

Este artigo apresenta e analisa os resultados do estudo multicasos sobre a relação da aplicação de práticas de governança corporativa e desempenho esportivo nas seguintes agremiações de futebol profissional: GE Brasil, SER Caxias, EC Juventude e EC Pelotas entre 2012 e 2016. Por meio de análise bibliográfica, documental e entrevistas, busca-se identificar a adoção de princípios governança a partir de cinco dimensões presentes na literatura: estrutura de governança, transparência, accountability, retorno social e práticas gerenciais. Observou-se que as dimensões estrutura de governança e práticas gerenciais foram determinantes para o bom desempenho de GE Brasil e EC Juventude no período. A SER Caxias, apresentou melhora somente em 2016, enquanto que o EC Pelotas possui problemas nas dimensões preponderantes para o sucesso dos demais clubes pesquisados. Em consonância com estudos anteriores na área, percebeu-se que os clubes que adotaram práticas de governança com maior intensidade, obtiveram melhores resultados esportivos.

Biografia do Autor

Régis Michels Nazi, Universidade do Estado de Santa Catarina

Mestre em Administração - Universidade do Estado de Santa Catarina

Nério Amboni, Universidade do Estado de Santa Catarina

Professor Associado - Universidade do Estado de Santa Catarina, Centro de Ciências da Administração e Sócio-Econômicas - Departamento de Administração Empresarial UDESC/ESAG/DAE

Doutor em Engenharia de Produção - Universidade Federal de Santa Catarina

Referências

AGUILERA-CARACUEL, J.; GUERRERO-VILLEGAS, J.; VIDAL-SALAZAR, M. D.; DELGADO-MÁRQUEZ, B. L. International cultural diversification and corporate social performance in multinational enterprises: The role of slack financial resources. Management International Review, v. 55, n. 3, p. 323-353, 2015.

ALVITO, M. A parte que te cabe neste latifúndio: o futebol brasileiro e a globalização. Análise Social (Lisboa), v. 41, n. 179, p. 451-474, 2006.

ANDERSON, C.; SALLY, D. Os números do jogo: porque tudo o que você sabe sobre futebol está errado. 1. ed. São Paulo: Paralela, 2013.

ANDRADE, A.; ROSSETTI, J. P. Governança corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2014.

ANDREFF, W. French football: a financial crisis rooted in weak governance. Journal of Sports Economics, v. 8, n. 6, p. 652-661, 2007.

BORGES, T. M. O processo de transformação administrativa do Grêmio Esportivo Brasil. 2010. 58 f. Monografia (Graduação em Administração) – Anhanguera Educacional S.A., Pelotas, 2010.

BRAHIM, Z.; NOURREDINE, F. Corporate governance among small and medium size enterprises in Algeria: “impediments to the practice of corporate governance system”. Asian Journal of Economic Modelling, v. 5, n. 2, p. 154-166, 2017.

BREITBARTH, T.; HOVEMANN, G.; WALZEL, S. Scoring Strategy Goals: Measuring Corporate Social Responsibility in Professional European Football. Thunderbird International Business Review, v. 53, n. 6, p. 721-737, 2011.

BRZESZCZYNSKI J.; MCINTOSH, G. Performance of portfolios composed of British SRI stocks. Journal of Business Ethics, v. 120, n. 3, p. 335-362, 2014.

CABALLERO, N. A co-gestão esportiva no futebol: o caso Juventude-Parmalat. 1. ed. Passo Fundo: Ediupf, 1998.

CAPASSO, A.; ROSSI, M. Systemic value and corporate governance. Exploring the case of professional football teams. Business Systems Review, v. 2, n. 2, p. 216-236, 2013.

CARVALHAL, R. L.; BORDEAUX-REGO, R. Teoria do Agente, Teoria da Firma e os Mecanismos de Governança Corporativa no Brasil. Relatórios de Pesquisa em Engenharia de Produção (UFF), v. 10, n. 13, p. 1-11, 2010.

CHAPPELET, J. L. Beyond governance: The need to improve the regulation of international sport. Sport in Society, v. 21, n. 5, p. 724–734, 2018.

COSTA, M. G. C. Perspectivas para o Futebol Feminino: Um estudo a partir do Pelotas/Phoenix. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, v. 8, n. 31, p. 379-386, 2016

COUTO, C. G. Oligarquização em um Grande Clube de Futebol: O Caso do Sport Club Corinthians Paulista. Organizações & Sociedade, v. 24, n. 81, p. 237-260, 2017.

CUOMO, F.; MALLIN, C.; ZATTONI, A. Corporate Governance Codes: A Review and Research Agenda. Corporate Governance: An International Review, v. 24, n. 3, p. 222–241, 2016.

DANTAS, M. G. S.; MACHADO, M. A. V.; MACEDO, M. A. S. Fatores determinantes da eficiência dos clubes de futebol do Brasil. Advances in Scientific and Applied Accounting, v. 8, n. 1, p. 113-132, 2015.

DELOITTE. A caminho da transparência: a evolução dos pilares de governança corporativa. São Paulo, 2015. Disponível em: https://www2.deloitte.com/content/dam/Deloitte/br/Documents/governance-risk-compliance/Acaminhodatransparencia.pdf. Acesso em 26 jun. 2018.

DEY, A. Corporate governance and agency conflicts. Journal of Accounting Research, v. 46, n. 5, p. 1143-1181, 2008.

DIETL, H.; FRANCK, E. Governance failure and financial crisis in German football. Journal of Sports Economics, v. 8, n. 6, p. 662-669, 2007.

DIMITROPOULOS, P. Capital structure and corporate governance of soccer clubs: European evidence. Management Research Review, v. 37, n. 7, p. 658–678, 2014.

ESPARTEL, L. B.; MÜLLER NETO, H. F.; POMPIANI, A. E. M. "Amar é ser fiel a quem nos trai": a relação do torcedor com seu time de futebol. Organizações & Sociedade, v. 16, n. 48, p. 59-80, 2009.

FERNANDES, L. F. F. As estratégias para o negócio futebol: um estudo de caso dos clubes do Rio Grande do Sul. 2009. 452 f. Dissertação (Doutorado em Motricidade Humana) - Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 2009.

FREITAS, H. V. A governança corporativa nos clubes de futebol: um estudo multicaso baseado nas práticas de governança corporativa dos clubes cariocas. 2012. 86 f. Dissertação (Mestrado Executivo em Gestão Empresarial) - Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas – EBAPE, Fundação Getúlio Vargas. Rio de Janeiro, 2012.

FREITAS, H. V.; FONTES FILHO, J. R. A Governança Corporativa nos Clubes de Futebol: um Estudo de Caso sobre o Clube de Regatas do Flamengo. Revista ADM.MADE, v. 15, n. 3, p. 39-60, 2011.

FRICK, B.; PRINZ, J. Crisis? What crisis? Football in Germany. Journal of Sports Economics, v. 7, n. 1, p. 60-75, 2006.

GARAY, U.; GONZÁLEZ, M.; GUZMÁN, A.; TRUJILLO, M. A. Internet-based corporate disclosure and market value: Evidence from Latin America. Emerging Market Review, v. 17, n. 1, p. 160-168, 2013.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2008.

GONÇALVES, J. C. S.; CARVALHO, C. A. A mercantilização do futebol brasileiro: instrumentos, avanços e resistência. Cadernos EBAPE, v. 4, n. 2, p. 1-27, 2006.

HAMIL, S.; HOLT, M.; MICHIE, J., OUGHTON, C.; SHAILER, L. The corporate governance of professional football clubs. Corporate Governance, v. 4, n. 2, p. 44-51, 2004.

HAMIL, S.; MORROW, S.; IDLE, C.; ROSSI, G.; FACCENDINI, S. The governance and regulation of Italian football. Soccer & Society, v. 11, n. 4, p. 373-413, 2010.

HENNE, K. Reforming Global Sport: Hybridity and the Challenges of Pursuing Transparency. Law & Policy, v. 37, n. 4, p. 325-349, 2015.

HOYE, R. Sport governance. In: HOYE, R.; PARENT, M. M. (org.). Handbook of sport management. London: Sage, 2017, p. 9-23.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA. Código das melhores práticas de governança corporativa. 5. ed. São Paulo: IBGC, 2015. Disponível em: http://www.ibgc.org.br/userfiles/files/2014/files/CMPGPT.pdf. Acesso em 14 nov. 2017.

ITAÚ-BBA. Análise Econômico-Financeira dos Clubes de Futebol Brasileiros – 2017. São Paulo, 2018. Disponível em: https://www.itau.com.br/_arquivosestaticos/itauBBA/Analise_Clubes_Brasileiros_Futebol_Itau_BBA.pdf. Acesso em: 03 fev. 2019.

JENSEN, M.; MECKLING, W. Theory of the firm: managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, v. 3, n. 4, p. 305-360, 1976.

KUPER, S.; SZYMANSKI, S. Soccernomics: porque a Inglaterra perde, a Alemanha e o Brasil ganham, e os Estados Unidos, o Japão, a Austrália, a Turquia – e até mesmo o Iraque – podem se tornar os reis do esporte mais popular do mundo. 1. ed. Rio de Janeiro: Tinta Negra, 2010.

LEONCINI, M. P.; SILVA, M. T. A gestão estratégica de clubes de futebol vista através do caso Manchester United. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 20, São Paulo, 2005. Anais... Rio de Janeiro: ABEPRO, 2005, p. 1-8.

LIANG, Y. The development pattern and a clubs’ perspective on football governance in China. Soccer and Society, v. 15, n. 3, p. 430-448, 2014.

MALAGRINO, F. A. F. O torcedor como vantagem competitiva: uma análise sob a ótica da transferência da lealdade. 2017, 290 f. Tese (Doutorado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

MARQUES, D. S. P. Administração de clubes de futebol profissional e governança corporativa: um estudo de casos múltiplos com clubes do estado de São Paulo. 2005. 189 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2005.

MARQUES, D. S. P. Administração de clubes de futebol profissional: proposta de um modelo específico de governança para o setor. 2014. 147 f. Tese (Doutorado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.

MARQUES, D. S. P.; COSTA, A. L. Administração de Clubes de Futebol Profissional: Proposta de um Modelo Específico de Governança para o Setor. Organizações & Sociedade, v. 23, n. 78, p. 378-405, 2016.

MARQUES, D. S. P.; COSTA, A. L. Governança em clubes de futebol: um estudo comparativo de três agremiações no estado de São Paulo. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, v. 44, n. 2, p. 118-130, 2009.

MATTAR, M. F. Gestão de clubes de futebol. In: MAZZEI, L. C.; BASTOS, F. C. (Org.). Gestão do esporte no Brasil: desafios e perspectivas. São Paulo: Ícone, 2012, p. 119-138.

MICHIE, J.; OUGHTON, C. The corporate governance of professional football clubs in England. Corporate Governance, v. 13, n. 40, p. 517-531, 2005.

MORAES, I.F.; MARCHETTI, F.; MOREIRA, R.L.; CARVALHO, M.J. A boa governança dos clubes de futebol e o Fair Play Financeiro: o modelo europeu e a proposta brasileira. Revista Intercontinental de Gestão Desportiva, v. 4, n. 1, p. 106-125, 2014.

MYSKIW, M. Confiança e comprometimento nos relacionamentos entre clubes de futebol profissional e seus patrocinadores. Revista Didática Sistêmica, v. 14, n. 2, p. 125-140, 2012.

NAKAMURA, W. T. Reflexões Sobre a Gestão de Clubes de Futebol no Brasil. Journal of Financial Innovation, v. 1, n.1, p. 40–52, 2015.

NAZI, R. M. Governança corporativa em clubes de futebol: um estudo multicasos em agremiações gaúchas. 2017. 196 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

NAZI, R. M.; BARCELOS, M. Profissionalização e burocratização no futebol - uma análise a partir das percepções de diretores-executivos de três clubes da Zona Sul do RS. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS, 4, Porto Alegre, 2016. Anais... Porto Alegre: UFRGS. 2016. p. 1-25.

NAZI, R. M.; DREWS, M. L. P. Mudança Organizacional no Futebol: Uma Análise Comparativa entre dois Clubes da Cidade de Pelotas/RS. PODIUM Sport, Leisure and Tourism Review, v. 6, n. 4, p. 375-391, 2017.

OECD. Principles of corporate governance. Ancara, 2015. Disponível em: https://www.oecd.org/daf/ca/Corporate-Governance-Principles-ENG.pdf Acesso em: 26 jun. 2018.

OLIVEIRA, M. M. Clubes de futebol com boa governança possuem melhor desempenho? Evidências do mercado brasileiro. 2011. 36 f. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) – Departamento de Administração, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

PARENT, M. M.; HOYE, R. The impact of governance principles on sport organisations’ governance practices and performance: A systematic review. Cogent Social Sciences, v. 4, n. 1, p. 1-24, 2018.

PRONI, M. W.; ZAIA, F. H. Financial condition of Brazilian soccer clubs: an overview. Soccer & Society, v. 15, n. 1, p. 108-122, 2014.

REZENDE, A. J.; DALMÁCIO, F. Z. Práticas de Governança Corporativa e Indicadores de Performance dos Clubes de Futebol: uma Análise das Relações Estruturais. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 18, n. 3, p. 105-125, 2015.

REZENDE, A. J.; FACURE, C. E. F.; DALMÁCIO, F. Z. Práticas de governança corporativa em organizações sem fins lucrativos. In: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE, 9, São Paulo, 2009. Anais... São Paulo: USP, 2009. p. 1-16.

RIGO, L. KNUTH, A. G.; JAHNECKA, L.; TAVARES, R. P. Estatuto de Defesa do Torcedor: um diálogo com o futebol pelotense. Movimento, v. 12, n. 2, p. 223-239, 2006.

RODRIGUES, M. S.; SILVA, R. F. C. A estrutura empresarial nos clubes de futebol. Organizações & Sociedade, v. 16, n. 48, p. 17-37, 2009.

RODRÍGUEZ- DOMÍNGUEZ, L.; GALLEGO-ÁLVAREZ, I.; GARCÍA-SÁNCHEZ, I. M. Corporate governance and codes of ethics. Journal of Business Ethics, v. 90, n. 2, p. 187-202, 2009.

SILVA, J. D.; CARVALHO, F. A. A. Evidenciação e desempenho em organizações desportivas: um estudo empírico sobre clubes de futebol. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 3, n. 6, p. 96-116, 2009.

SILVA, L. M.; GUIMARÃES, P. B. V. Esporte-espetáculo na economia criativa: futebol e promoção cultural para o desenvolvimento. Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM. v. 11, n. 33, p. 952-973, 2016.

SILVA, L. M.; SILVA, L. M. Futebol-empresa: análise da lei de responsabilidade fiscal do futebol brasileiro. Revista Eletrônica Direito e Política, v. 11, n. 2, p. 508-533, 2016.

SILVA, R. G. S; ALVES, C. E. Organizações culturais: uma análise do processo de empresarização do Grêmio Esportivo Brasil. In: CONGRESSO VIRTUAL BRASILEIRO DE ADMINISTRAÇÃO, 9, 2012. Anais... 2012, p. 1-13.

SOUZA, F. C.; MURCIA, F. D.; MARCON, R. Bonding hypothesis: análise da relação entre disclosure, governança corporativa e internacionalização de companhias abertas no Brasil. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 14, n. 2, p. 62-81, 2011.

STAKE, R. Pesquisa qualitativa: estudando como as coisas funcionam. 1. ed. Porto Alegre: Penso, 2011.

TEIXEIRA, A. A. N. A dimensão política e os mecanismos de governança no futebol: um estudo em clubes de Minas Gerais. 2014. 124 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade de Ciências Empresariais, Universidade FUMEC, Belo Horizonte, 2014.

VALENCIA, L. A. R.; QUEIRUGA, D.; GONZÁLEZ-BENITO, J. Relationship Between Transparency and Efficiency in the Allocation of Funds in Nongovernmental Development Organizations. Voluntas: International Journal of Voluntary and Nonprofit Organizations, v. 26, n. 6, p. 2517-2535, 2015.

WILLEMS, T.; VAN DOOREN, W. Lost in diffusion? How collaborative arrangements lead to an accountability paradox. International Review of Administrative Sciences, v. 77, n. 3, p. 505-530, 2011.

WU, C. F. The study of the relations among ethical considerations, family management and organizational performance in corporate governance. Journal of Business Ethics, v. 68, n. 2, p. 165-179, 2006.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

Downloads

Publicado

2021-02-24