A transcodificação numérica em crianças com indícios de discalculia do desenvolvimento

Autores

  • Lanúzia Almeida Brum Avila Universidade Católica do Rio Grande do Sul
  • Isabel Cristina Machado de Lara Universidade Católica do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2020v13n1p29

Palavras-chave:

Transcodificação numérica, Discalculia do desenvolvimento, Repotencialização, Habilidades matemáticas, Intervenções psicopedagógicas

Resumo

Este artigo apresenta alguns resultados advindos de uma pesquisa de Mestrado sobre o desempenho de crianças com indícios de Discalculia do Desenvolvimento, utilizando-se como um dos instrumentos para a avaliação, o Teste de Transcodificação. O objetivo é analisar a repotencialização de habilidades matemáticas relacionadas à transcodificação numérica - TN, após o período de intervenções psicopedagógicas. A pesquisa ocorreu em dois momentos: a avaliação de 13 crianças com idades entre 9 e 12 anos e reavaliação das crianças, após o período de 10 sessões de intervenções. Para analisar os resultados obtidos, seguiu-se o indicado pela literatura do teste e realizou-se o Teste t de Student. A partir dos resultados numéricos, gráficos e tabelas foram construídos com a pretensão de ilustrar as variações no desempenho em relação às habilidades de cada uma das crianças.  Após a análise do pós-teste, verifica-se que, de modo geral, as crianças apresentaram melhoras.

Biografia do Autor

Lanúzia Almeida Brum Avila, Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutoranda em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2018). Bolsista CAPES. Mestra em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2017). Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional pela Faculdade Porto-Alegrense de Educação, Ciências e Letras (2007). Graduada em Pedagogia Orientação Educacional pela Faculdade Porto-Alegrense de Educação, Ciências e Letras (2003). Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: cognição e aprendizagem; transtorno bipolar; dificuldades de aprendizagem em leitura, escrita e matemática; transtornos de aprendizagem: Dislexia e Discalculia do Desenvolvimento.

Isabel Cristina Machado de Lara, Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007), Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001) e possui graduação em Matemática - Licenciatura Plena pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1993). Pós-Doutoramento em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2011). Professora permanente no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática e da Escola Politécnica da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Discalculia do Desenvolvimento – GEPEDPUCRS – e o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Etnomatemática – GEPEPUCRS. Realiza palestras, oficinas e cursos de extensão atuando principalmente nos seguintes temas: ensino e aprendizagem da Matemática desde a Educação Infantil; Neurociências e aprendizagem em Matemática; uso de jogos; Etnomatemática; Resolução de Problemas; História da Matemática; Modelagem Matemática.

Referências

AVILA, L. A. B Avaliação e intervenções psicopedagógicas em crianças com indícios de Discalculia. Porto Alegre, 2017. Dissertação (Mestrado) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2017.

AVILA, L. A. B.; LARA, I. C. M. Discalculia: Um mapeamento de artigos brasileiros. Abakós. v. 6, p. 35-56, 2017.

BARROUILLET, P.; CAMOS, V.; PERRUCHET, P.; SERON, X. ADAPT: Developmental, Asemantic, and Procedural Model for Transcoding From Verbal to Arabic Numerals. Psychological Review, v. 111, n. 2, p. 368-394, 2004.

BASTOS, J. A. Discalculia: transtorno específico da habilidade em matemática. In: ROTTA, N.; OHLWEILER, L.; RIESCO, R. (Orgs). Transtornos da aprendizagem: Abordagem neurobiológica e multidisciplinar. São Paulo: Artes Médicas, 2006, p. 195- 206.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: Métodos qualitativo, Quantitativo e Misto. 3.ed. Porto Alegre: Artes médicas, 2010.

DEHAENE, S.; COHEN, L. Towards an Anatomical and Functional Model of Number Processing. Mathematical Cognition, v. 1, p. 83-120, 1995.

DSM-5. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. 5. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2014.

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2007.

FREITAS, N. L.; FERREIRA, F. O.; HAASE, V. G. Aspectos linguísticos envolvidos na habilidade de transcodificar entre diferentes representações de número. Ciências & Cognição, v. 17, n. 1, p. 01-15, 2012.

GERSTMANN, J. Some notes on the Gerstmann syndrome. Neurology, p. 866-869, 1957.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

HAASE, V. G.; MOURA, R. J.; CHAGAS, P. P.; WOOD, G. Discalculia e Dislexia: Semelhanças Epidemiológica e Diversidade de Mecanismos Neurocognitivos. In: ALVES, L. M; MOUSINHO, R.; CAPELLINI, S. A. (Orgs). Dislexia: Novos temas, novas perspectivas, Publisher: Rio de Janeiro: Wak, 2011, p. 257-282.

HAINAUT, L. D’. Conceitos e métodos da estatística. v. 1. 2 ed., Fundação Calouste Gulbenkian: Lisboa, 1997.

KOSC, L. Developmentol Dyscalculia. Journal of Learning Disabilities can be found at, v. 7, n. 3, p.163-177, 1974.

LARA. I. C. M. Jogando com a Matemática na Educação Infantil e séries iniciais. São Paulo: Editora Rêspel, 2005.

MCCLOSKEY, M., CARAMAZZA, A.; BASILI, A. Cognitive mechanisms in number processing and calculation: Evidence from dyscalculia. Brain and Cognitive, n. 4, p. 171-196, 1985.

MOURA, R.; WOOD, G.; CHAGAS-PINHEIRO, P.; LONNEMANN, J.; KRINZINGER, H.; WILLMES, K.; HAASE, V. G. Transcoding abilities in typical and atypical mathematics achievers: The role of working memory and procedural and lexical competencies. Journal of Experimental Child Psychology, p. 707-727, 2013.

MYKLEBUST, H. R.; JOHNSON, D. J. Dyslexia in Chindren. Exceptional Children, p. 14-25, 1962.

SILVA, J. B. L.; MOURA, R. J.; WOOD, G.; HAASE, V. G. Processamento Fonológico e Desempenho em Aritmética: Uma Revisão da Relevância para as Dificuldades de Aprendizagem. Trends in Psychology / Temas em Psicologia, v. 23, n. 1, 157-173, 2015.

STEIN, L. M. TDE: Teste de Desempenho Escolar: Manual para aplicação e interpretação. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1994.

WECHSLER, D. WISC-III: Escala de Inteligência Wechsler para crianças: Manual. 3.ed.; São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002, p. 309.

YIN, R. K. Estudo de caso: Planejamento e métodos. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

Downloads

Publicado

2020-05-13

Edição

Seção

Artigos