Oficina de integração mexendo a cuca: saúde mental, gastronomia, matemática e cidadania

Conteúdo do artigo principal

Raphael Henrique Travia
Marizete Bortolanza Spessatto

Resumo

Será que as políticas públicas de saúde e educação atuais são suficientes para promover a inclusão de indivíduos que convivem com o sofrimento psíquico? Neste artigo, apresentamos um relato de experiência sobre o desenvolvimento da Oficina de Integração Mexendo a Cuca: Saúde Mental, Gastronomia, Matemática e Cidadania, resultante de um projeto de intervenção realizado com sujeitos da Turma de Alfabetização II da Educação de Jovens e Adultos, mantida pelos Serviços Organizados de Inclusão Social, no município de Joinville-SC. O projeto de intervenção, realizado em quatro semanas no mês de março de 2015, envolveu, em parceria entre os estudantes atendidos pelo SOIS, professora, terapeuta ocupacional e pesquisador, a seleção de uma receita culinária, sua redação, confecção de lista de compras, compra de ingredientes, preparo e partilha do prato pronto. Durante a preparação dos alimentos, os alunos foram divididos em dois grupos, respeitando suas habilidades e limitações. Em todas as etapas do processo, os integrantes da turma foram estimulados a pensar sobre o uso racional dos recursos financeiros, de acordo com o que preconizam os conceitos da Educação Matemática Crítica. A análise considerou que, de acordo com Freire (1987), a superação da condição de opressor e oprimido dentro das esferas de trabalho, educação e saúde pressupõe liberdade para criar e construir, para admirar e aventurar-se. Conclui-se que as aulas permeadas pelas oficinas de integração contribuem para a superação da condição de “doente”, estimulando a aprendizagem, evidenciando pistas do que se espera das políticas públicas de saúde e educação, na construção da cidadania para todas as pessoas.

Detalhes do artigo

Como Citar
TRAVIA, R. H.; SPESSATTO, M. B. Oficina de integração mexendo a cuca: saúde mental, gastronomia, matemática e cidadania. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 9, n. 23, p. 105-125, 2017. DOI: 10.5007/cbsm.v9i23.69084. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/69084. Acesso em: 17 ago. 2022.
Seção
Artigos originais
Biografia do Autor

Raphael Henrique Travia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina/Servidor Técnico Administrativo em Educação.

Raphael Henrique Travia

Tecnólogo em Gestão Hospitalar

Especialista em Educação de Jovens e Adultos (PROEJA) 

 

Marizete Bortolanza Spessatto, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina/Docente de Educação Básica, Técnica e Tecnológica.

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com estágio de doutoramento na Università Degli Studi di Padova-Italia.

É professora do Centro de Referência em Formação e EaD do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC)  onde também Chefia o Departamento de Formação de Formadores.