Itinerário terapêutico, escolha e avaliação de tratamento para problemas de saúde

Conteúdo do artigo principal

João Paulo Roberti Junior
Idonézia Collodel Benetti
Michele Zanella

Resumo

Indivíduos encontram diferentes maneiras de resolver os seus problemas de saúde. Isso implica em levar em consideração que a escolha de um tratamento, e os caminhos que levam para a cura, seja ele biomédico ou não, é influenciada pelo contexto sociocultural em que ocorre. A noção de itinerário terapêutico mostra-se eficaz quando identifica a dinâmica contextual, com base na qual se desenvolvem os projetos individuais e coletivos de tratamentos. Se as alternativas que o mundo social oferece estão fora de controle dos indivíduos, e são todas igualmente possíveis, o itinerário terapêutico está em forma de projeto individual como um campo de possibilidades dentro do controle do indivíduo. Acima de tudo é preciso entender que inexiste uma lógica orientando a escolha e a sequência do itinerário terapêutico, pois doença e procura de tratamento são processos imersos e mediados por contextos culturais específicos4. O itinerário terapêutico demonstra também os limites dos modelos biomédicos de tratamento, pois o social é integral da experiência da doença, e o sistema biomédico é, muitas vezes, a forma para reger um modelo moral no tratamento da doença. A percepção do paciente sobre o sintoma e seu significado é parte de sua experiência de enfermidade, e o itinerário terapêutico é a construção social da doença; assim o significado atribuído não é dado a priori, mas emerge neste processo.

Detalhes do artigo

Como Citar
JUNIOR, . P. R.; BENETTI, . C.; ZANELLA, . Itinerário terapêutico, escolha e avaliação de tratamento para problemas de saúde. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 8, n. 18, 2017. DOI: 10.5007/cbsm.v8i18.69415. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/69415. Acesso em: 10 dez. 2022.
Seção
Resumos