O programa Comunidade de Fala (CdF) nos seus cinco anos de implementação no Brasil

Autores

  • Richard Weingarten
  • Martha Helena Oliveira Noal
  • Eduardo Mourão Vasconcelos
  • Mônica Nunes de Torrenté
  • Caio Wilmers Manço

Palavras-chave:

Saúde mental, Comunidade de Fala, Empoderamento, Recovery, Narrativas pessoais de vida

Resumo

O presente artigo visa apresentar o programa Comunidade de Fala em seu processo de implementação no Brasil desde 2015, por meio de depoimentos pessoais e relatos descritivos e analíticos de suas principais lideranças no país. Primeiramente, inclui uma seção indicando suas bases históricas e conceituais no movimento internacional de usuários do campo da saúde mental, focando principalmente nos conceitos de empoderamento e recovery, e suas diversas dimensões e estratégias. Logo a seguir, Richard Weingarten, liderança do movimento de usuários nos Estados Unidos, atuante também no Brasil há mais de duas décadas, e criador do programa, faz um relato dos seus objetivos e do processo de implementação no Brasil, seguido por relatos das lideranças locais em Santa Maria (RS), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP).

Referências

ANTHONY, Willian, COHEN, Mikal., FARKAS, Marianne, & GAGNE, Cagne. Psychiatric Rehabilitation. 2nd edition. Boston: Boston University Center for Psychiatric Rehabilitation, 2002.

CHAMBERLIN, Judy. (1988) On our own (1.st US edition, 1977). London; MIND.

CHAMBERLIN, Judy, A functional definition of empowerment. Psychiatric Rehabilitation Journal, v.20, n. 4, p. 43-45. 1997.

COLEMAN, Ron (ed). Recovery: an alien concept? Port of Ness (Isle of Lewis, United Kingdom), P7P Press, 2011

COSTA, Elisangela, NOAL, Martha. O papel do projeto "Comunidade de fala" no empoderamento e recovery de usuários dos serviços de saúde mental. Cadernos Bras. De Saúde Mental, v. 9, n. 21, 2017

DAVIDSON, Larry. Living outside mental illness: qualitative studies of recovery in schizophrenia. New York, New York University Press, 2003

DAVIDSON, Larry; HARDING, Courtenay; and SPANIOL, LeRoy (ed). Recovery from severe mental illnesses: research evidence and implications for practice, vols I and II. Boston, Center for Psychiatric Rehabilitation, Boston University, 2005

DAVIDSON, Larry; O’CONNELL, Maria; TONDORA, Janis; STAEHELL, Martha; ROWE, Michael(ed). A practical guide for recovery-oriented practice: tools for transforming mental health care. New York, Oxford University Press, 2009

HAAFKENS, Joke et al - Mental health care and the opposition movement in the Netherlands, in Soc.Sci.Med. 22 (2): p. 21-37, 1986

HUGHES, Ruth; and Weinstein, Diane (ed). Best practices in psychosocial re-habilitation. Columbia, International Association of Psychosocial Rehabilitation Services, 2000

LINDOW, Vivien. Self help alternatives to mental health services. London, MIND, 1994.

LINHORST, Donald. (2006) Empowering people with severe mental illness: a practical guide. New York; Oxford University Press.

MOWBRAY, Carol; MOXLEY, David; COLLEEN, Jasper; HOWELL, Lisa Consumers as provid-ers in psychiatric rehabilitation. Columbia (US), International Association of Psychosocial Reha-bilitation Services.1997NOAL, Martha. O significado de uma associação de usuá-rios e familiares no tratamento e trajetória de vida de seus sócios. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Maria, RS, 2014.

ROGERS, Anne and PILGRIM, David. “Pulling down churches”: accounting for the British mental health users movement, in: Sociology of Health and Illness. Oxford, UK, 13 (2), pp. 129148, 1991.

STASTNY, Peter and LEHMANN, Peter (coord.). Alternatives Beyond Psychiatry. Berlin, Peter Lehmann Publishing, 2007

UN (United Nations). Principles for the Protection of Persons with Mental Illness and for the Improvement of Mental Health Care. UN, New York, 1991

UN. Convention on the Rights of Persons with Disabilities. UN, New York, 2007

VASCONCELOS, Eduardo. Reinvenção da cidadania no campo da saúde mental e estratégia política do movimento de usuários. In EM VASCONCELOS (org) Saúde mental e serviço social. São Paulo, Cortez, 2000.

VASCONCELOS, Eduardo. O poder que brota da dor e da opressão: empo-werment, sua história, teorias e estratégias. São Paulo; Paulus, 2003

VASCONCELOS, Eduardo.; WEINGARTEN, Richard. et al (org). Reinventando a vida: narrativas de recuperação e convivência com o transtorno mental. São Paulo, Hucitec; Rio de Janeiro, EncantArte, 2006

VASCONCELOS, Eduarrdo. As narrativas pessoais na modernidade e sua im-prtância na saúde mental e na atuação profissional com foco psicossocial. In Erimaldo NICACIO e José Augusto BISNETO, (org) A prática do assistente social na saúde mental. Rio de Janeiro, Ed. UFRJ, 2013a.

VASCONCELOS, Eduardo (coord). Manual de ajuda e suporte mútuos em saúde mental. Rio de Janeiro, Escola de Serviço Social da UFRJ; Brasília, Ministério da Saúde, 2013b. Disponível em https://drive.google.com/file/d/0B0O0KmIfoMGzV2YxMEFtdUwyUnc/view?usp=sharing

VASCONCELOS, Eduardo (coord). Manual de direitos e deveres dos usuários e familiares em saúde mental e drogas. Rio de Janeiro, Escola de Serviço Social da UFRJ; Brasília, Ministério da Saúde, 2014. Disponível em https://drive.google.com/file/d/0B0O0KmIfoMGzV2YxMEFtdUwyUnc/view?usp=sharing

VASCONCELOS, Eduardo and DESVIAT, Manuel. Empowerment and recovery in the mental health field in Brazil: socio-historical context, cross-national aspects, and critical considerations. American Journal of Psychiatric Rehabilitation 20 (3) New Haven (Connecticut, USA), 2017a

VASCONCELOS, Eduardo. As abordagens anglo-saxônicas de empoderamento e recovery (recuperação, restabelecimento) em saúde mental I: uma apresentação histórica e conceitual para o leitor brasileiro. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental 9 (21). Florianópolis, UFSC, 2017b.

VASCONCELOS, Eduardo. As abordagens anglo-saxônicas de empoderamento e recovery (recuperação, restabelecimento) em saúde mental II: uma avaliação crítica para uma apropriação criteriosa no cenário brasileiro. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental 9 (21). Florianópolis, UFSC, 2017c.

WEINGARTEN, Richard. O movimento de usuários em saúde mental nos Es-tados Unidos: história, processos de ajuda e suportes mútuos e militância. Rio de Janeiro; Instituto Franco Basaglia e Projeto Transversões; 2001.

WEINGARTEN, Richard. Empoderando da Voz do Usuario. Cadernos Brasilei-ros em Saude Mental. Florianopolis, v. 9, n.21, p. 146-157. 2017.

WHO (World Health Organization) Advocacy for Mental Health. WHO, Geneva, 2003

WHO (World Health Organization) UN Convention on the rights of persons with disabilities - a major step forward in promoting and protecting rights. Geneva, World Health Organization, 2007

Downloads

Publicado

2021-07-15 — Atualizado em 2021-07-16

Versões

Como Citar

WEINGARTEN, R.; HELENA OLIVEIRA NOAL, M. .; MOURÃO VASCONCELOS, E. .; NUNES DE TORRENTÉ, M. .; WILMERS MANÇO, C. . O programa Comunidade de Fala (CdF) nos seus cinco anos de implementação no Brasil. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, [S. l.], v. 13, n. 36, p. 228-249, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/82132. Acesso em: 21 out. 2021.