Análise bibliológica: ferramenta de segurança em coleções de livros raros

Raphael Diego Greenhalgh, Miriam Paula Manini

Resumo


O valor histórico-cultural e econômico do livro raro faz com que o mesmo seja, frequentemente, objeto de roubo e furto. Portanto, as instituições guardiãs deste tipo de acervo têm que reforçar sua segurança com o intuito de inibir essa prática criminosa. O presente trabalho, por meio de revisão de literatura, tem como objetivo analisar a possibilidade de uso da análise bibliológica como uma ferramenta de segurança, pois com a descrição detalhada dos exemplares é possível aumentar o conhecimento sobre o acervo de uma instituição e atribuir propriedade inequívoca aos exemplares raros, que nem sempre recebem carimbos ou outras marcas, dificultando a devolução dos livros no caso de roubo e furto e possível recuperação dos mesmos. Portanto, a análise bibliológica individualiza o exemplar, além de permitir o manuseio e conhecimento aprofundado deste, fatores imprescindíveis à segurança das obras.


Palavras-chave


Análise bibliológica; Biblioteconomia de livros raros; Segurança contra roubo e furto; Obras Raras

Texto completo:

PDF-A

Referências


ARAÚJO, E. A construção do livro: [princípios da técnica de editoração]. São Paulo: Editora UNESP, 2008.

BERTINAZZO, S. M. F. Ex libris: pequeno objeto do desejo. Brasília: EdUnB, 2012.

CAMPBELL, D. Dealer who stole rare maps faces jail and £1m fines. The Guardian, 24 jun. 2006. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2014.

CHRISTIE`S. Disponível em: . Acesso em: 13 jun. 2014.

FARIA, M. I.; PERICÃO, M. G. Dicionário do livro: da escrita ao livro eletrônico. São Paulo: Edusp, 2008.

GAUZ, V. De roubos e roubos. Info Home, out. 2005. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2014.

______. Da Itália para o mundo: o roubo de livros da Biblioteca Girolamini. Info Home, dez. 2013. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2014.

HONIGSBAUM, M. Throw book at thief, says library. The Guardian, 15 set. 2006. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2012.

KUSHNIR, B. Da manchete à notinha de canto: os furtos do patrimônio público, a privatização dos acervos do cidadão. Museologia e Patrimônio, v. 2, p. 9-21, 2009. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2014.

LADRÕES ROUBAM cem obras raras em Campinas. Folha de São Paulo, 13 ago. 2013. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2014.

MANSO, B. P.; GODOY, M. Trio rouba livros raros de botânica em SP e diz ser “encomenda internacional”. Estadão, 02 fev. 2012. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2014.

MORAES, R. B. O bibliófilo aprendiz. 4ª ed. Brasília: Briquet de Lemos, 2005.

PINHEIRO, A. V. Catalogação de livros raros: proposta de metodologia de formalização de notas especiais para difusão, recuperação e salvaguarda. In: I ECONTRO NACIONAL DE CATALOGADORES E III ENCONTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM CATALOGAÇÃO, out. 2012, Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2014.

______. Livro raro: antecedentes, propósitos e definições. In: SILVA, H. C.; BARROS, M. H. T. C. (Orgs.). Ciência da Informação: múltiplos diálogos. Marília: Cultura Acadêmica, 2009, p. 31-44. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2014.

REIFSCHNEIDER, O. D. B. A importância do acesso às obras raras. Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, v. 1, n. 1, jan./abr. 2008. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2014.

RODRIGUES, A. H.; CALHEIROS, M. F.; COSTA, P. S. Análise bibliológica de livros raros: a preservação ao “pé da letra”, in Anais da Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro, v. 123, p. 33-48, 2007. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2014.

RODRIGUES, M. C. Como definir e identificar obras raras?: critérios adotados pela Biblioteca Central da Universidade de Caxias do Sul. Revista Ciência da Informação, Brasília, v. 35, n. 1, p. 115-121, jan./abr. 2006. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2011.

SANT’ANA, R. B. Critérios para a definição de obras raras. Revista Online Biblioteca Prof. Joel Martins, Campinas, v. 2, n. 3, p. 1-18, jun. 2001. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2014.

SILVA, F. Critérios de seleção de obras raras adotados em bibliotecas do Distrito Federal. 2011. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2011. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2014.

SOTHEBY`S. Disponível em: . Acesso em: 13 jun. 2014.




DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2015v20n42p17



Direitos autorais 2015 Raphael Diego Greenhalgh, Miriam Paula Manini

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)