Em foco a classificação: abordagens conceituais na Arquivologia, Biblioteconomia e Museologia

Autores

  • Ana Cristina de Albuquerque Universidade Estadual de Londrina (UEL)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2015v20n43p20

Resumo

A classificação se caracteriza pelo processo de agrupar e dividir o conhecimento por suas semelhanças, dispor as informações de modo que as relações de analogia se sobressaiam, para que as ciências, o saber ou a informação possam ser apreendidos de forma precisa. Neste artigo analisa-se a noção de classificação a partir da abordagem nas áreas da Arquivologia, Biblioteconomia e Museologia, partindo-se do pressuposto de que tanto em sua perspectiva intelectual como aplicada a classificação para os três campos remonta a organizar e estruturar as informações e o conhecimento. Cada campo tem sua especificidade, no entanto, no que tange ao conceito de classificação, é possível inferir trocas e diálogos necessários ao debate conceitual que se torna relevante ao serem observados os objetivos comuns destas áreas do conhecimento: o acesso às informações por seus usuários, a organização do conhecimento e a sistematização e disseminação de conteúdos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ana Cristina de Albuquerque, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP)

Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Fundamentos teóricos da classificação. In: Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, n.22, 2º semestre, 2006. p.117-140.

BARBUY, Heloisa. Documentação museológica e a pesquisa em museus. In: GRANATO, Marcus, et al. Documentação em Museus/Museu de Astronomia e Ciências Afins – MAST. Rio de Janeiro: MAST, 2008. (MAST Colloquia;10)

BARROS, Thiago Henrique Bragato. A construção discursiva em arquivística: uma análise do percurso histórico e conceitual da disciplina por meio dos conceitos de classificação e descrição. 2010, 132f. Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências, 2010.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivos permanentes: tratamento documental. São Paulo: T. A. Queiroz, 1991.

CADERNO de diretrizes museográficas. Brasília: Ministério da Cultura/Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional/Departamento de Museus e Centros Culturais, Belo Horizonte: Secretaria de Estado da Cultura/Superintendência de Museus, 2006.

CAMARGO-MORO, Fernanda de. Museu: aquisição/documentação. Rio de Janeiro: Eça, 1986.

COMTE-SPONVILLE, André. Dicionário filosófico. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

DAHLBERG, Ingetraut. Teoria da classificação, ontem e hoje. In: CONFERENCIA BRASILEIRA DE CLASSIFICAÇÃO BIBLIOGRÁFICA, Rio de Janeiro: IBICT, 1979.

DIAS, Eduardo Wense. Tratamento temático da informação. In: Análise de assunto: teoria e prática. São Paulo: Thesaurus, 2007.

ESTEBAN NAVARRO, Miguel Angel. La representación y la organización del conocimiento en los archivos. In: GARCÍA MARCO, Javier (ed.) Organización del conocimiento en sistemas de información y documentación, ACTAS DEL I ENCUENTRO DE ISKO-ESPANA, Madrid, 4-5 de noviembre de 1993, Zaragoza, 1995, p. 65-90.

FERREZ, Helena Dodd. Documentação museológica: teoria para uma boa prática. Cadernos de Ensaios n.2: estudos de museologia. Rio de Janeiro: Minc/Iphan, 1998.

______. ; BIANCHINI, Maria Helena J. Thesaurus para acervos museológicos. Rio de Janeiro: Fundação Nacional Pró-Memória∕Coordenadoria Geral de Acervos Museológicos, 1987.

GIL, Fernando. Classificações. In: ______. Enciclopédia Einaudi. Portugal: Imprensa Nacional/Casa da Moeda. 2001. 432p. v.41.

GONÇALVES, Janice. Como classificar e ordenar documentos de arquivo. São Paulo: Arquivo do Estado, 1998. (Projeto Como Fazer;v.2)

HEREDIA HERRERA, Antonia. Archivistica general: teoria y practica. Espanha: Publicaciones Diputacion Provincial de Sevilla, 1991.

KÉDROV, B.M. Clasificación de las ciencias: Engels y sus predecesores. Moscou: Editorial Progreso, 1974.

LAPA, Sofia. Georges-Henri Rivière na gênese do Museu Calouste Gulbenkian: contributos para o estudo da colaboração entre o museólogo francês e a Fundação Calouste Gulbenkian. Revista de História da Arte, n.8, p.88-109, 2011.

LODOLINI, Elio. El archivo del ayer al mañana: la archivística entre tradición e innovación. In: Boletín Anabade, n.1, 1995. Tradução realizada por María Jesús Álvarez-Coca González de palestra proferida pelo autor em 17 de novembro de 1993, no Archivo histórico Nacional, Espanha.

LOPES, Luis Carlos. A informação e os arquivos: teorias e práticas. Niterói: EDUFF; São Carlos: EDUFSCAR, 1996.

MARÍN TORRES, María Teresa. Historia de la documentación museológica: la gestión de la memória artística. Espanha: Ediciones Trea, 2002.

MARTÍN-POZUELO CAMPILLOS, M. Paz. La construccion teórica en archivistica: el principio de procedencia. Madrid: Boletin Oficial del Estado, 1996.

MENSCH, P. V. Museus em movimento. Cadernos museológicos n.1. Rio de Janeiro: IBPC, 1987.

OLIVEIRA, Ana Karina Rocha de. Museologia e Ciência da Informação: distinções e encontros entre áreas a partir da documentação de um conjunto de peças de ‘Roupas Brancas’. 2009. 133f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

PIEDADE, M. A. Requião. Introdução à teoria da classificação. 2.ed. Rio de Janeiro: Interciência, 1983. 221p.

POMBO, Olga. Da classificação dos seres à classificação dos saberes. 2002. Disponível em : . Acesso em 25 de mai. 2007.

ROMERO TALLAFIGO, Manuel. Archivística y archivos: soportes, edifício y organización. 2.ed. Carmona: S&C ecidiones, 1994 (Biblioteca Archivística;1)

SAN SEGUNDO MANUEL, Rosa. Sistemas de organización del conocimiento: la organización del conocimiento en las bibliotecas españolas. Madrid: Imprenta Nacional del Boletín Oficial del Estado, 1996.

SHERA, Jesse Hauk. Padrão, estrutura e conceituação na classificação. Tradução de Hagar Espanha Gomes. 1957. Disponível em: < http://www.conexaorio.com/biti/shera/index.htm>. Acesso em: 22 de abril de 2008.

SILVA, Odilon Pereira da; GANIN, Fátima. Manual da CDU. Brasília: Briquet Lemos, 1994.

SOUSA, Renato Tarciso Barbosa de. Os princípios arquivísticos e o conceito de classificação. In:RODRIGUES, Georgete Medleg; LOPES, Ilza Leite. (Org.). Organização e representação do conhecimento na perspectiva da Ciência da Informação. Brasília: Thesaurus, 2003, v. 2, p. 240-269.

TALLAFIGO, Manuel Romero. Archivística y archivos: soportes, edifício y organización. 2.ed. Carmona: S&C ecidiones, 1994 (Biblioteca Archivística;1)

TÁLAMO, Maria de Fátima Gonçalves M. et al. Vamos perseguir a informação. Comunicação e Educação, São Paulo, v.4, p.52-57, set. ∕dez. 1995.

TRISTÃO, A.M.D.; FACHIN, G.R.B; ALARCON, O.E. Sistema de classificação e tasauros: instrumentos para organização do conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, v.33, n.2,, p.161-171, maio∕ago. 2004.

VICKERY, Brian C. Classificação e indexação nas ciências. Rio de Janeiro: BNG-Brasilart, 1980. (Coleção Biblioteconomia, documentação, ciência da informação).

Downloads

Publicado

2015-08-03

Como Citar

Albuquerque, A. C. de. (2015). Em foco a classificação: abordagens conceituais na Arquivologia, Biblioteconomia e Museologia. ncontros ibli: vista eletrônica e iblioteconomia iência a informação, 20(43), 20–46. https://doi.org/10.5007/1518-2924.2015v20n43p20

Edição

Seção

Artigo